Edição 290Março 2019
Sábado, 20 De Abril De 2019
Editorias

Publicado na Edição 290 Março 2019

Acervo FAMS

Paixão pelo esporte e jornalismo

Vladir Lemos: “O esporte faz parte da minha vida”

Paixão pelo esporte e jornalismo

O jornalista e escritor Vladir Lemos foi entrevistado pelo Programa Memória-História Oral, da Fundação Arquivo e Memória de Santos (Fams), em 27 de dezembro de 2016. Na entrevista, Vladir fala sobre sua infância, a sua juventude e a relação com o mar e as praias da região, os estudos no curso de Comunicação, seu trabalho, seus livros e sua paixão pelo futebol: “Tenho uma paixão muito grande pelo esporte, além do jornalismo. Acho que jogar bola foi a coisa que eu mais fiz, desde criança. Como adoro o mar, também, pratiquei remo, surfe, natação. O esporte faz parte da minha vida”.

VLADIR de Sá Lemos nasceu em São Paulo, em 7 de setembro de 1967. É formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Santos (UniSantos), e iniciou sua carreira em 1992, como repórter da TV Tribuna, em Santos. Fez matérias para os jornais Bom Dia Brasil, Bom Dia São Paulo, SPTV, Jornal Hoje, Jornal da Globo e para os esportivos Globo Esporte e Esporte Espetacular. Ainda na década de 90 trabalhou para a RBS em São Paulo e para programas veiculados pelos canais SporTV. Também passou pela TV Bandeirantes e pela ESPN Brasil.

Contratado pela TV Cultura em 1998, foi durante seis anos repórter do programa Grandes Momentos do Esporte e, mais tarde, seu apresentador. Na TV Cultura/SP, é apresentador e editor-chefe do programa Cartão Verde, e escreve semanalmente para o jornal A Tribuna, de Santos.

É autor do livro Dois poetas frente ao espelho (Folhia de Poesia, 1988) e de outros títulos inspirados pelo futebol.

Em A magia da camisa 10 (Verus, 2006), escrito em parceria com André Ribeiro, a narrativa aborda as histórias de grandes craques de todo o mundo, inspirados pelo símbolo da camisa 10 que Pelé envergou na Copa do Mundo de 1958.

O dia em que me tornei santista (Panda Books, 2007) é voltado para o público infanto-juvenil. Integra a coleção O dia em que me tornei, na qual autores convidados contam suas histórias pessoais em relação aos seus times do “coração”. No caso de Vladir, há as lembranças dos jogos de várzea da sua infância, sua primeira visita à Vila Belmiro e a paixão pelo time do Rei Pelé. Escreveu ainda Juízo, torcida brasileira (Realejo, 2014) e Os dias em mim (Dobradura Editorial, 2016).

Vladir Lemos colaborou ainda para a coletânea A cabeça do futebol (Casa das Musas, 2009) na qual vários autores abordam a relação do brasileiro com o futebol em crônicas, poemas, ensaios e contos.

No campo dos documentários, é autor de Os caminhos do Tri (TV Cultura, 2000); A jogada da renúncia (TV Cultura, 2001); Diamante Negro – O homem que venceu o tempo (Bossa Nova Filmes, 2006); e Gaudí – O Visionário (GNT, 2002).

A entrevista completa de Vladir Lemos pode ser acessada no canal oficial do Programa Memória-História Oral no Youtube, em www.youtube.com/watch?v=6QcRDGxaukU&t=115s

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br

Publicado na Edição 289 Fevereiro 2019

Acervo FAMS

Freira, escritora e santista

Maria Valéria Rezende escreve ficção, poesia e é tradutora

Freira, escritora e santista

Maria Valéria Rezende foi entrevistada pelo Programa Memória-História Oral, da Fundação Arquivo e Memória de Santos (FAMS), em 16 de agosto de 2017. Sobrinha-neta do poeta parnasiano Vicente de Carvalho, diz que uma de suas primeiras lembranças é a de escritores reunidos na casa de sua avó, em Santos, onde nasceu e foi criada: “A casa da minha avó era um ponto de encontro de escritores. Discutia-se de tudo. Além disso, a literatura está na família. Lia as poesias de meu tio-avô Vicente de Carvalho; isso formou meu …

Leia mais

Publicado na Edição 288 Janeiro 2019

Divulgação

A memória da cidade

Entrevistas estão à disposição para a consulta de pesquisadores e demais interessados

A memória da cidade

Criado em 2004, o Programa Memória – História Oral, da Fundação Arquivo e Memória de Santos (FAMS), já entrevistou mais de três centenas de pessoas que tiveram uma participação efetiva nas vidas artística, cultural, política, social e esportiva da cidade.

O objetivo do Programa é preservar a história e memória de Santos por meio da produção e conservação de novos documentos, colhidos através de entrevistas e utilizando a metodologia da história oral.

A preocupação com a história e a memória da cidade se justifica pelo fato de Santos …

Leia mais