Edição 298Novembro 2019
Segunda, 16 De Dezembro De 2019
Editorias

Publicado na Edição 298 Novembro 2019

Divulgação

Dicas para automatizar a sua casa

Como preparar uma “smart home”

Dicas para automatizar a sua casa

Tendência para casa que incorpora tecnologia e eletrônicos, a smart home, ou casa inteligente, é uma casa que combina dispositivos, como iluminação, áudio, eletrodomésticos, sistemas de segurança, que se comunicam entre si e podem ser controlados por meio de voz ou via aplicativos.

Ao contrário do que muita gente pensa, ter uma casa inteligente não demanda a substituição de todos os aparelhos eletrônicos por equipamentos mais novos. O processo pode começar aos poucos, realizando pequenas alterações que deixem a sua experiência em casa mais cômoda, personalizada e divertida. O profissional de automação residencial Irwin Gomes, que atende pelo GetNinjas, aplicativo de contratação de serviços, elencou dicas flexíveis, dependendo da área da casa que se pretende começar o procedimento e do orçamento disponível para iniciar o projeto.

Escolha o seu ecossistema. Para a experiência da automação ser a melhor possível é importante que os produtos instalados conversem entre si. Para facilitar a escolha, uma boa opção é selecionar seu ecossistema a partir de um ecossistema comum, como o ecossistema de assistente de voz. Dispositivos para casas inteligentes já são compatíveis com o Amazon Echo, e sua assistente Alexa, e o Google Home. Em franco crescimento estão os dispositivos que podem ser controlados com a Apple HomePod.

Revise a sua instalação elétrica. Como todos os dispositivos inteligentes que integram a sua casa precisam de energia, é necessário realizar uma revisão completa da instalação elétrica. Se assegure de que não há instalações defeituosas, sobrecarregadas ou outros detalhes que possam causar dano aos seus dispositivos. Antes de instalar tomadas, interruptores e termostatos inteligentes (que ajudam a controlar a voltagem e a melhorar a eficiência de casa), é importante se assegurar que sua instalação tem fio terra e que está trabalhando corretamente, especialmente se há uma fiação muito antiga.

Escolha uma categoria. Praticamente qualquer área de casa pode receber um “boost” de inteligência: iluminação, temperatura, entretenimento (áudio e TV), fechaduras, sistema de segurança e eletrodomésticos. A sugestão é escolher um deles e começar a buscar produtos que trabalhem com o sistema escolhido.

Lâmpadas e luzes. A iluminação inteligente permite que você consiga imprimir a iluminação relaxante de um restaurante quando for receber amigos para um jantar ou ainda conseguir o acionamento automático da iluminação quando você não estiver em casa, aumentando a segurança da residência. A iluminação pode mudar de intensidade e responder a palmas, sensor de presença e comandos de voz. É preciso que o acionador da luz ou a lâmpada tenham tecnologia embarcada que se comunique com a rede local do seu roteador.

Tomadas inteligentes. Outra opção são os adaptadores que se conectam nas tomadas normais de casa. Eles dão a possibilidade de não investir em eletrodomésticos inteligentes, fazendo com que você se familiarize com o sistema pouco a pouco. Eles permitem monitorar o consumo de energia e até gerar relatórios de consumo. Além disso, se conectam com outros dispositivos inteligentes para ligá-los ou desligá-los de maneira automática, de acordo com horários pré-programados, ou por meio de acionamento manual.

Entretenimento. Integrar o seu “assistente” com serviços de música e TV é simples. Vale lembrar, no entanto, que se tratam de dispositivos interligados. Isto é, se você tem um equipamento de som que se conecta de forma automática ao Spotify, por exemplo, é o seu assistente quem dará os comandos. Aqui é importante considerar que se sua TV tem mais de 5 anos, talvez seja preciso­ trocá-la, já que para receber os comandos é necessária uma entrada HDMI 2.0.

Fechaduras inteligentes. Há grande variedade de fechaduras inteligentes que incluem opções como abrir com códigos numéricos, cartões magnéticos, aplicativos de celular, chaves virtuais e até leitura biométrica.