Edição 321Outubro 2021
Quinta, 28 De Outubro De 2021
Editorias

Publicado na Edição 315 Abril 2021

Acervo FAMS

História recuperada e compartilhada

Pimentel: paixão sobre a história de Santos e região

História recuperada e compartilhada

O jornalista Carlos Pimentel Mendes foi entrevistado pelo Programa Memória-História Oral em 5 de julho de 2017, no estúdio da Universidade São Judas (Campus Unimonte). Na entrevista Pimentel fala de sua paixão sobre a história de Santos e região, compartilhada no site Novo Milênio, e também nos conta um pouco da sua trajetória profissional e pessoal.

Carlos Pimentel Mendes nasceu em Santos, em 7 de janeiro de 1957. Passou toda a infância no bairro do Marapé, onde morava com a família na Rua Napoleão Laureano. Estudou nos colégios Olavo Bilac e Canadá e se formou em Jornalismo na Faculdade de Comunicação de Santos (Facos), nos anos 1970.

Na carreira de jornalista, Pimentel foi responsável pelo caderno semanal Marinha Mercante em todo o Mundo, do jornal O Estado de S. Paulo, além de publicar colunas sobre transporte marítimo em vários jornais brasileiros e no periódico londrino Lloyd’s. No jornal A Tribuna, de Santos, criou o caderno de informática; e também prestou assessoria de comunicação a várias entidades sindicais. Atualmente, trabalha na assessoria de comunicação da Prefeitura de Cubatão, onde é funcionário de carreira.

Em dezembro de 1999 Pimentel criou o site Novo Milênio, para comemorar a chegada de uma nova era, um novo milênio, que na verdade se iniciaria um ano depois, em 2001. No início o site tinha como objetivo tratar de informática, mas com o tempo foi ganhando as características de um jornal eletrônico: trazia informações sobre navegação e também sobre a história de Santos.

“A repercussão positiva sobre a inserção da história de Santos me incentivou a ampliar e aprofundar cada vez mais o espaço regional no site. Esse fato trouxe à tona minha veia de jornalista investigativo”, conta Pimentel. Atualmente o Novo Milênio se preocupa em recuperar as informações relevantes sobre a história regional, divulgá-las e compartilhá-las com todos.

Segundo Pimentel, são vários os públicos que acessam o Novo Milênio: interessados em informática, em jogos, em navegação, entre outros: “Na ‘editoria’ Baixada Santista, por exemplo, há desde estudantes até escritores e jornalistas pesquisando informações para seus textos, idosos recordando cenas e fatos do passado e pessoas residentes no exterior mostrando aos amigos como era e é Santos e região”.

Cerca de 250 mensagens eletrônicas por dia são enviadas ao site, de várias partes do mundo, com informações e material de imprensa ligado à informática, logística e transportes, além de material relacionado com a história e a cultura da região, publicado em jornais, bibliotecas e acervo pessoal enviado por leitores.

Boa parte dos acessos ao Novo Milênio vem de pessoas buscando informações em sites como Google e Yahoo. Alguns milhares de sites em todo o mundo (cerca de 250 mil referências, segundo o Google) têm vínculos para material de Novo Milênio relacionado aos seus interesses: “Novo Milênio é domínio próprio, não está restrito a qualquer portal, e por isso os endereços das páginas são permanentes, o que facilita sua citação em pesquisas e sites”, frisa o jornalista.

A entrevista completa de Carlos Pimentel Mendes pode ser vista no canal oficial do Programa Memória-História Oral no Youtube, com acesso pelo endereço http://youtube.com/programamemoriahistoriaoral

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br

Responder