Edição 310Novembro 2020
Sexta, 27 De Novembro De 2020
Editorias

Publicado em 30/10/2020 - 7:12 am em | 0 comentários

Divulgação

Santos sedia Climathon 2020 na versão brasileira de projetos locais

Inovação para impulsionar a economia azul circular

Santos sedia Climathon 2020 na versão brasileira de projetos locais

A edição de 2020 do Climathon, maior hackathon do mundo focado em soluções de mitigação de efeitos climáticos, terá Santos como sede da versão brasileira para seleção de projetos locais. O evento será realizado simultaneamente em mais de 160 cidades espalhadas pelo mundo.

No formato on-line, dias 13 e 14 de novembro, o Climathon buscará propostas inovadoras que impulsionem no Brasil a economia azul circular, que visa o desenvolvimento de negócios pro-clima para uso eficiente dos recursos hídricos, redução e transformação dos resíduos plásticos nos rios e oceano, circularidade de bens de consumo, mitigação do impacto de eventos climáticos extremos e conscientização de consumidores, entre outras ações.

De acordo com Angélica Rotondaro, uma das organizadoras do Climathon, “Santos foi escolhida por representar os desafios das cidades costeiras em relação à mudança climática, aliada à compreensão da necessidade de soluções pró-resiliência e gestão de risco climático”. Angélica explica que “diante do surgimento da pandemia de Covid-19, precisamos adaptar o evento para o formato on-line, mas a cidade continua sendo uma grande referência, como sede simbólica dessa edição”.

A competição é aberta a empreendedores, startups pro-clima e pesquisadores que apresentem ideias de soluções para um dos seguintes temas estratégicos: “Soluções de Resiliência para Negócios e Comunidades frente a Eventos Climáticos Extremos”, “Gestão do Resíduo no Caminho e no Mar” e “Impacto com Resíduo e Microplástico – Soluções por uma Moda Circular”. Interessados podem se inscrever até 12 de novembro, ao meio-dia (horário de Brasília).

“Nosso objetivo é de alavancar uma economia azul circular no Brasil, trazendo as relações sistêmicas entre o urbano e o oceano e formando uma massa crítica de negócios pro-clima que sejam escaláveis, com o apoio de uma comunidade de investidores de impacto”, afirma Angélica. Para Tatiana Zanardi, do Climate-Smart Institute e Ocean Eyes Productions, “uma orientação pró-economia azul de startups é absolutamente necessária. E o Brasil, com uma costa de mais de 7.000 km e detentor das maiores bacias hidrográficas da América do Sul, deve tomar a liderança nesse tema”.

O evento é organizado pela Alimi Impact Ventures e tem a CTG Brasil como patrocinadora. “Para a CTG Brasil, participar de desafios voltados para soluções pró-clima em temas de resiliência climática é uma forma de mobilizar a sociedade para o tema e estimular o surgimento de inovações que podem impactar a todos” destaca Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade.

O Climathon Santos conta também com o apoio da Bloom laboratório de negócios pro-clima no Oceano, das universidades UniSanta, Anhembi Morumbi, Cesar Católica de Santos, Nova Lisboa e do Centro de Estudos das Organizações da FEA-USP, assim como de movimentos da sociedade civil, como Sea Shepherd, Climate-Smart Institute e Ocean Eyes Productions.

Ao longo de 13 e 14 de novembro, os participantes do Climathon irão consolidar suas ideias ou revisitar a sua proposta de valor seguindo as diversas fases de estruturação de um modelo de negócios e preparação dos pitches de venda de suas ideias, produtos ou serviços, que serão submetidos para o comitê avaliador.

A divulgação dos três primeiros colocados de cada desafio será realizada em evento de premiação virtual programado para 18 de novembro. Uma série de webinars preparatórios acontecerá nos próximos dias.

Os primeiros colocados em cada uma das três categorias receberão sessões de mentoria concedidas por investidores de impacto. Os vencedores também terão a oportunidade de concorrer à premiação global, que oferecerá uma vaga para incubação no EIT Climate-KIC, comunidade de conhecimento e inovação apoiada pelo Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia. Os segundos e terceiros lugares de cada categoria participarão de uma rodada “shark tank” com os investidores-mentores. Todos os participantes do evento terão visibilidade frente a investidores anjo e a uma rede internacional.

A CTG Brasil trabalha para desenvolver o mundo com energia limpa em larga escala. Segunda maior geradora privada de energia do país, conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente. A empresa tem investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, com capacidade instalada total de 8,28 GW. Criada em 2013, é parte da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em geração de energia limpa.

A Alimi Impact Ventures é uma consultoria focada em trazer escalabilidade para o investimento sustentável e de impacto no Brasil. Nesse sentido foca em envolver novos atores no ecossistema de impacto, especialmente as empresas, investidores institucionais e os NextGen brasileiros. Apoia o desenvolvimento de estratégias de blended finance para um blended portfolio, ao utilizar o capital filantrópico e de inovação para acelerar start-ups em temas onde o Brasil se destaca, como uma economia azul circular e de cadeias de alimento mais sustentáveis, ainda com potencial a ser desenvolvido.

Responder