Edição 318Julho 2021
Quarta, 04 De Agosto De 2021
Editorias

Publicado em 12/03/2021 - 7:16 am em | 0 comentários

Divulgação

Prefeitura antecipa para amanhã a interdição das praias de Santos

Fase emergencial vigorará até o próximo dia 30

Prefeitura antecipa para amanhã a interdição das praias de Santos

Embora a fase emergencial do Plano São Paulo tenha início apenas na segunda-feira – com medidas mais rígidas para o isolamento social –, as praias de Santos estarão interditadas já a partir de amanhã. A antecipação foi anunciada pelo prefeito Rogério Santos, ao confirmar que a proibição do uso total da faixa de areia, assim como atividades e esportes no mar, se estenderá até o próximo dia 30.

Hoje será elaborado um decreto municipal para detalhar as restrições impostas pelo governo do estado na fase emergencial. Equipes da administração municipal discutirão como cumprir as novas regras, entre as quais o toque de recolher das 20 horas às 5 horas e diversas imposições, como o serviço de retirada de todos os setores, restrição de lojas de materiais de construção, proibição de celebrações religiosas coletivas e atividades esportivas coletivas.

Ao justificar a necessidade das medidas restritivas visando conter a pandemia do coronavírus, o prefeito citou como exemplo a ocupação total dos leitos de UTI do Hospital Guilherme Álvaro (administrado pelo estado) e a quase ocupação total do Hospital Vitória.

“A interdição das praias é uma medida drástica, mas estamos em um momento muito difícil porque o vírus vem avançando na nossa região. É uma situação bem pior do que enfrentamos recentemente. Conto com a colaboração dos santistas para que repitam o exemplo que deram durante o réveillon, respeitando integralmente esta determinação”, afirmou Rogério.

Também hoje, o prefeito levará reivindicações ao governo do estado, como maior verba para abertura de leitos UTI, visando atender pacientes de Covid-19, a suspensão da operação descida no sistema Anchieta-Imigrantes, a fim de diminuir a vinda de veículos de turistas à região, e também reforço no efetivo da Polícia Militar, devido à necessidade de maior controle das novas exigências da fase emergencial.

Responder