Edição 327Abril 2022
Terça, 17 De Maio De 2022
Editorias

Publicado em 9/02/2022 - 10:13 am em | 0 comentários

Divulgação

Metro quadrado de imóvel residencial sobe 3,5% na capital paulista

Preço médio chegou a R$ 7.107/m2

Metro quadrado de imóvel residencial sobe 3,5% na capital paulista

O preço médio do metro quadrado de imóveis residenciais vendidos em São Paulo apresentou o maior aumento de 2021 no último trimestre do ano. Segundo relatório de compra e venda do QuintoAndar, o valor médio do m² de compra na capital foi de R$ 6.868 entre julho e setembro para R$ 7.107 entre outubro e dezembro, representando um aumento de 3,5%.

O levantamento constatou que os bairros mais valorizados para compra foram Brooklin (de R$ 9.886/m² para R$ 12.319/m²), Moema (de R$ 10.268/m² para R$ 12.297/m²), Vila das Mercês (de R$ 4.828/m² para R$ 5.629/m²) e Santana (de R$ 5.406/m² para R$ 6.133/m²). Por outro lado, os que tiveram desvalorização no preço médio do metro quadrado foram: Bom Retiro (de R$ 7.794/m² para R$ 5.214/m²), Santa Cecília (de R$ 8.971/m² para R$ 6.612/m²), Vila Andrade (de R$ 7.021/m² para R$ 5.873/m²) e Ipiranga (de R$ 7.000/m² para R$ 5.964/m²).

Ao avaliar a taxa de desconto ofertada entre o valor do anúncio X o valor praticado na hora da compra, o levantamento mostra que a cidade teve a menor taxa de desconto no último trimestre de 2021, com média de 3,9%. No primeiro trimestre do ano, este percentual era de 4,1%.

Mesmo com a queda na média geral de descontos, os bairros do Bom Retiro (5,9%), Brooklin (5,7%), Moema (5,4%) e Perdizes (5,3%) apresentaram bons valores de negociação no último trimestre.

“A diferença entre os dados de anúncio e os de contrato foi uma forma que encontramos de comparar os preços esperados com o que é, de fato, praticado. Dessa forma, temos um panorama do quão aquecido está o mercado imobiliário, excluídas as especulações”, comenta Bruno Rossini, diretor de Comunicação do QuintoAndar.

De acordo com o levantamento, a rentabilidade potencial dos imóveis que foram comprados na cidade, caso fossem disponibilizados para aluguel, chegou a 0,435% ao mês – uma queda de 1,2% em comparação com o período anterior. Essa análise é feita tendo como base a Calculadora QuintoAndar, considerando fatores como número de dormitórios, vagas de garagem, localização e condições de conservação.

No recorte de rentabilidade por número de dormitórios foi identificado que os imóveis com um quarto tiveram o maior crescimento na lucratividade, de 0,457% ao mês – entre julho e setembro era de 0,398% ao mês. Além disso, imóveis com dois e três quartos registraram 0,426% a.m e 0,389% a.m, respectivamente.

Já os bairros apontados como a maior rentabilidade potencial foram: Bom Retiro (0,532% a.m), Barra Funda (0,501% a.m), Liberdade (0,497% a.m) e Aclimação (0,472% a.m).

No último trimestre do ano, o bairro da Vila Mariana se manteve estável como o bairro mais demandado para compra na cidade, seguido por Tatuapé e Mooca. Já o Butantã subiu três posições no ranking, atingindo a oitava posição. Os bairros de Bela Vista e Perdizes caíram uma posição cada um e estão em nono e décimo lugar.

Responder