Edição 318Julho 2021
Quarta, 04 De Agosto De 2021
Editorias

Publicado na Edição 311 Dezembro 2020

Acervo FAMS

Quatro décadas dedicadas ao Jornalismo

Cristina: “Na TV Tribuna eu me realizei profissionalmente. Lá eu tive todas as oportunidades possíveis”

Quatro décadas dedicadas ao Jornalismo

A jornalista Cristina Guedes gravou seu depoimento ao Programa Memória-História Oral em 11 de dezembro de 2019 no Salão Camoniano do Centro Cultural Português de Santos. Na entrevista Cristina conta sobre seus 40 anos de vida profissional, iniciada no final dos anos 1970 no jornal Cidade de Santos, além de memórias afetivas relacionadas à sua vida pessoal.

Cristina Guedes Gonçalves nasceu em Santos em 23 de agosto de 1956 e passou quase toda sua infância e adolescência no Bairro Boqueirão. Os primeiros anos de estudo foram no colégio Coração de Maria, onde fez o então curso primário. O curso ginasial foi no Tarquínio Silva, e o segundo grau foi cursado no tradicional Canadá.

No terceiro ano como aluna de Jornalismo da Faculdade de Comunicação da Universidade Católica de Santos, Cristina já iniciava sua carreira no Cidade de Santos, onde ficou por oito anos. Em seguida foi para a capital, onde atuou na TV Record e na Rede Globo. Voltou para Santos em 1991 para ser a primeira repórter da TV Tribuna, emissora filiada da Globo que seria inaugurada no ano seguinte.

Na TV Tribuna Cristina Guedes desempenhou várias funções: foi repórter de rede, com várias participações no Jornal Nacional, atuou como chefe de reportagem da emissora, apresentou o Jornal da Tribuna e fez coberturas internacionais, como a da visita do então presidente Fernando Henrique Cardoso a Portugal durante a comemoração dos 500 Anos do Descobrimento do Brasil. Comandava, ainda, o programa Revista da Praia na emissora. Para a jornalista, estas experiências profissionais foram as melhores de sua vida: “Na TV Tribuna eu me realizei profissionalmente. Lá eu tive todas as oportunidades possíveis”.

Em 2005 Cristina sai da TV Tribuna e vai para a Prefeitura de Santos, onde assume a presidência da Fundação Arquivo e Memória de Santos. Lá realizou diversos trabalhos até então inéditos na organização, como a criação do primeiro MBA do país em Arquivologia, além de várias publicações em parceria com o governo da França. Após três anos na fundação, a jornalista assume a direção da Santos Film Commission, órgão da Prefeitura criado para dar suporte às produções audiovisuais realizadas na cidade.

Em 2012, ao mesmo tempo em que dirigia a comissão, Cristina publicou À Prova de Choque, livro sobre o ex-traficante e presidiário Paulo Sergio Gonsalves de Melo, que há mais de 20 anos está recuperado da dependência química e distribui a obra gratuitamente no trabalho que realiza com dependentes, em mais de 20 clínicas de reabilitação.

O depoimento completo de Cristina Guedes Gonçalves pode ser acessado no canal oficial do Programa Memória-História Oral no Youtube pelo link www.youtube.com/c/programamemoriahistoriaoral

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br

Responder