Edição 289Fevereiro 2019
Terça, 19 De Março De 2019
Editorias

Publicado na Edição 289 Fevereiro 2019

Acervo FAMS

Freira, escritora e santista

Maria Valéria Rezende escreve ficção, poesia e é tradutora

Freira, escritora e santista

Maria Valéria Rezende foi entrevistada pelo Programa Memória-História Oral, da Fundação Arquivo e Memória de Santos (FAMS), em 16 de agosto de 2017. Sobrinha-neta do poeta parnasiano Vicente de Carvalho, diz que uma de suas primeiras lembranças é a de escritores reunidos na casa de sua avó, em Santos, onde nasceu e foi criada: “A casa da minha avó era um ponto de encontro de escritores. Discutia-se de tudo. Além disso, a literatura está na família. Lia as poesias de meu tio-avô Vicente de Carvalho; isso formou meu imaginário. Muito criança, comecei a escrever cartas para a minha avó, em forma de narrativas. Não parei mais”.

MARIA Valéria Rezende nasceu em 1942 em Santos, onde viveu até os 18 anos, e desde 1976 mora na Paraíba. Formada em Língua e Literatura Francesa, Pedagogia e com mestrado em Sociologia, dedicou-se, desde os anos 1960, à Educação Popular, em diferentes regiões do Brasil e do mundo, viajando a trabalho pelos cinco continentes.

Às vésperas de completar 60 anos, em 2001, começou a publicar literatura com a primeira versão do livro “Vasto Mundo” (Ed. Beca), que foi reeditado em nova versão em 2015 (Ed. Alfaguara) e posteriormente traduzida e publicada na França em 2017 (Ed. Anacaona).

Desde 2004 participa do Clube do Conto da Paraíba, que a estimulou a continuar a escrever ficção. O seu romance “O voo da guará vermelha” (Ed. Objetiva, 2005) foi publicado em Portugal, França e teve duas edições em Espanha (espanhol e catalão). Participa em várias coletâneas no Brasil, Argentina, Itália, França, Estados Unidos e Portugal.

Escreve ficção, poesia e é também tradutora. É, ainda, ativista e participa do Movimento Mulherio das Letras, que teve sua primeira edição na cidade de João Pessoa/PB, em 2017.

Vencedora do Prêmio Jabuti em 2009, na categoria infantil, com a obra “No risco do caracol” (Ed. Autêntica, 2008) e, em 2013, na categoria juvenil, ganhou outro Jabuti com o romance “Ouro dentro da cabeça” (Ed. Autêntica, 2012). Os Jabutis para Melhor Romance e Livro do Ano de Ficção chegaram em 2015, pelo seu romance “Quarenta Dias” (Ed. Alfaguara, 2014). Com seu último romance, “Outros Cantos” (Ed. Alfaguara, 2016), conquistou o Prêmio Casa de las Américas (Cuba, 2017), o Prêmio São Paulo de Literatura e o terceiro lugar no Prêmio Jabuti de 2017.

A entrevista completa de Maria Valéria Rezende pode ser acessada no canal oficial do Programa Memória-História Oral no Youtube, em www.youtube.com/channel/UCiyIMOuL2MSDXSHXkZsjkeA

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br