Edição 296Setembro 2019
Domingo, 15 De Setembro De 2019
Editorias

Publicado na Edição 296 Setembro 2019

Acervo FAMS

Educação e cidadania feminina

Audrey Kleys: “Construir uma sociedade mais participativa e consciente dos seus direitos e deveres”

Educação e cidadania feminina

A educadora, jornalista e vereadora Audrey Kleys foi entrevistada pelo Programa Memória-História Oral em 14 de dezembro de 2016, na Sala Serafim Gonzalez, localizada na Casa de Frontaria Azulejada, no Centro Histórico de Santos. Em seu depoimento, Audrey recorda passagens de sua infância, adolescência e de sua trajetória pessoal, acadêmica e profissional.

AUDREY Kleys Cabral de Oliveira Dinau nasceu em Santos, em 23 de setembro de 1974. Casada e mãe de um filho, Audrey é jornalista, professora, bacharel em Direito, pós-graduada em Formação de Professores em Educação à Distância e em Fortalecimento de Conselho de Escola, pela Universidade Federal de São Carlos. Trabalhou por 15 anos na TV Tribuna e quase quatro anos na Secretaria Municipal de Educação de Santos (Seduc), como secretária-adjunta.

Nas eleições de 2016 Audrey Kleys foi eleita vereadora em Santos pelo Partido Progressista (PP), com 4.375 votos. Neste seu primeiro mandato tem como meta ajudar a construir uma sociedade mais participativa e consciente dos seus direitos e deveres: “Meu foco é a Educação, com o fortalecimento do protagonismo juvenil, atenção aos educadores e comunidade escolar, além de maior participação das mulheres na política. Essas são as prioridades nesta minha jornada como vereadora”.

É de autoria de Audrey Kleys o projeto de lei que inclui no Calendário Oficial do Município a “Semana da Memória-História Oral de Santos”, que terá sua primeira edição na terceira semana de setembro deste ano. Serão realizados eventos relacionados ao tema, como seminários e palestras em instituições universitárias parceiras da Fundação Arquivo e Memória de Santos. A vereadora destina anualmente, também, verba de emenda parlamentar à Fundação para auxiliar na realização das atividades do Programa Memória-História Oral.

Na justificativa do projeto que cria a Semana, Audrey lembra que “a História Oral tem vocação para tudo e para todos, procurando o respeito às diferenças e facilitando a compreensão das identidades e dos processos de suas construções narrativas”. Sobre a escolha do mês de setembro para a realização do evento, a vereadora recorda que o primeiro trabalho de História Oral no Brasil foi publicado em setembro de 1978: trata-se do livro “Memórias do Exílio”, obra coletiva dirigida e coordenada por Pedro Celso Uchoa Cavalcanti e Jovelino Ramos, sob o patrocínio de Paulo Freire, Abdias do Nascimento e Nelson Werneck Sodré.

A entrevista completa pode ser acessada no canal do Programa Memória-História Oral no Youtube, através do link www.youtube.com/watch?v=aS-ELpPFnSo

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br