Edição 281Junho 2018
Sábado, 21 De Julho De 2018
Editorias

Publicado na Edição 281 Junho 2018

Divulgação

Inovadores e sustentáveis

Ambiente “Casa do Escritor” usa o sistema Light Steel Frame (LSF) como estrutura de construção

Inovadores e sustentáveis

Uma das atrações da CasaCor SP, até 29 de julho, no Jockey Club de São Paulo, na capital paulista, são os sistemas construtivos. Eles se caracterizam pela inovação e sustentabilidade, características que podem ser constatadas na “SysHaus”, o ambiente criado pelo arquiteto Arthur Casas em parceria com a startup que dá nome ao projeto. Em um espaço de 200 metros quadrados, o projeto dessa casa de luxo mescla tecnologia de ponta, soluções de engenharia sustentável e design urbano.

O sistema produtivo é ágil e entrega casas de alto padrão em até 60% de tempo menos do que em processos tradicionais. Com a tecnologia da marca, a casa chega ao endereço 95% pronta para a montagem, sem gerar resíduos e nem consumir água – abundantemente desperdiçada em obras convencionais.

A casa possui mecanismos de captação e reuso de água da chuva, energia solar por meio de painéis fotovoltaicos e biodigestor, que transforma lixo orgânico em gás para utilização na cozinha e lareira. Ainda é possível optar pela cobertura verde, que contribui para o conforto térmico e acústico. Além disso, conta com eficiência energética que permite custo zero na conta de energia, e possui recursos de automação.

O arquiteto concebeu os interiores dentro do conceito free standing, isto é, armários e cozinha, que normalmente são fixos, chegam na casa em módulos. Dessa forma, em caso de mudança, é só desmontar e transferir tudo para o novo endereço. A linha de casas assinadas por Arthur e equipe permite variações quanto a acabamentos, revestimentos e layouts.

Outro sistema construtivo inovador é apresentado pela arquiteta Jóia Bergamo. Ela criou a “Casa do Escritor”, que usa como estrutura de construção o sistema Light Steel Frame (LSF), que dispensa concreto ou tijolo. Esse tipo de construção, se comparada à forma tradicional, apresenta vantagens em relação ao tempo da obra e ao impacto no meio ambiente, possibilitando uma construção rápida, seca e com poucos resíduos, evitando a poluição. Os materiais utilizados emitem cerca de cinco vezes menos CO2 que construções tradicionais. Todo o material de aço utilizado é reaproveitado, e após a desmontagem será novamente direcionado a outras obras.

Há outras vantagens do sistema LSF, se comparado ao sistema de construção com alvenaria: redução nos prazos de entrega dos projetos, manutenção e instalação elétrica, hidrossanitárias, CFTV, gás, ar condicionado, por exemplo. Outro ponto positivo é um ganho de até 5% de área, já que a parede interna de uma edificação com esse sistema tem menor espessura. Assim como nos projetos convencionais, há conforto térmico e acústico, além de resistência estrutural – calculada por um projetista. A vida útil do material pode chegar a mais de 200 anos, com baixo custo de manutenção.

Já o arquiteto Gabriel de Lucca, autor do “Recinto do Bosque”, aposta na solução estética do brise, que equilibra a incidência de luz natural no ambiente com o conforto térmico. Comumente executado em madeira, o arquiteto optou por placas cimentícias de fibrocimento, que trazem um forte apelo ecológico por sua composição de fibras vegetais mineralizadas.

Gabriel investiu no desenvolvimento de um ambiente com método construtivo sustentável, marcado pelo uso do steel frame, em que a obra é feita sem sujeira, descartando a necessidade de canteiro de obras e executada em pouco tempo, utilizando perfis de aço, além das placas cimentícias para o fechamento.

A dupla Thiago Manarelli e Ana Paula Guimarães, criadora da “Cabana”, também utilizou o steel frame. Com estrutura de aço, a construção erguida em apenas 18 dias chegou pronta ao canteiro de obras do Jockey Club de São Paulo e recebeu fechamento em drywall (gesso acartonado) e telhas metálicas, numa obra limpa: sem uso de fôrmas de madeira e concreto e sem desperdício. A casa é feita em módulos e facilita aumentar os ambientes sempre que necessário. Uma das paredes parece pedra, mas na verdade é concreto com formato, visual e instalação idênticos aos do material natural.

Para a Plantar Ideias, que criou o “Paisagens de Luz”, a preocupação com desperdício de materiais e a preservação do histórico pergolado do Jockey Club resultou num jardim pré-fabricado, mostrando que não são apenas casas e espaços internos que podem ser planejados desta forma. A proposta consiste em mostrar um jardim onde todos os seus elementos, como estruturas metálicas, móveis, plantas e revestimentos, possam ser retirados e transportados para outro lugar com facilidade e sem causar nenhum dano ao meio ambiente.

Esse conceito de pré-fabricação permitiu que o jardim não necessitasse de estruturas fixas. O resultado foi uma obra limpa e sustentável, composta por pisos pré-fabricados de concreto, da linha Apis, desenhada pelos profissionais da empresa, que, instalados sobre areia, permitiram eliminar o uso de contrapiso.

Serviço – O Jockey Club está localizado na Avenida Lineu de Paula Machado, 875, Cidade Jardim. Mais em www.casacor.com

“SysHaus”: tecnologia, soluções sustentáveis e design urbano

 

“Cabana”: casa feita em módulos facilita aumentar os ambientes