Edição 292Maio 2019
Quarta, 19 De Junho De 2019
Editorias

Publicado na Edição 244 Maio 2015

Divulgação

Mercado Premium injeta otimismo

SUV GLA: uma espécie de cereja do bolo da marca da estrela

Mercado Premium injeta otimismo

Nelson Tucci

Os números são auspiciosos: crescimento de 31% nas vendas no primeiro quadrimestre do ano e market share de 65% do mercado de importados. Ótimos motivos para apostar na alta deste segmento e investir R$ 500 milhões sem susto.

A tradicional montadora alemã Mercedes-Benz tem planos ousados para um futuro breve. Até 2020 prevê atingir a liderança mundial de vendas dos automóveis Premium. E a corrida já começou. De acordo com a empresa, radicada no Brasil desde 1956 – início da indústria brasileira neste setor –, a construção da fábrica de Iracemápolis faz parte desta estratégia.

A nova planta se situará a 150 km da capital, em área de 2,5 milhões de metros quadrados e de 140 mil metros quadrados de área construída. Entre montagem bruta, pintura, montagem final, logística e qualidade, a Mercedes-Benz deverá gerar 600 empregos diretos e outros 3.000 indiretos, considerando toda a cadeia (fornecedores diretos e indiretos e ampliação da rede de concessionários).

É ali, na bucólica Iracemápolis (no passado, distrito de Limeira) que serão produzidos o sedã Classe C e o SUV GLA. A terraplenagem do terreno já foi feita e a pedra fundamental lançada. De acordo com a empresa serão investidos mais de R$ 500 milhões na cidade para a construção da nova fábrica, que iniciará suas atividades no próximo ano. E a partir da inauguração dessa unidade, a Mercedes-Benz do Brasil será a única do setor automotivo a produzir, na América Latina, caminhões, ônibus, vans e automóveis.

Segundo Chris Wittke, gerente sênior da Engenharia de Manufatura da marca em Iracemápolis, essa nova fase da construção é mais um passo para a concretização da produção de automóveis Mercedes-Benz no mercado brasileiro. “Vamos produzir o Classe C, que há anos é sucesso de vendas no Brasil, e o SUV GLA, que chegou ano passado no mercado brasileiro e já é o carro-chefe da marca e uma das principais apostas para o mercado Premium no País”.

Crescimento – A Mercedes registrou, nos primeiros quatro meses de 2015, crescimento de 31% nas vendas de automóveis Premium no mercado brasileiro. Nesse período, foram vendidas 4.238 unidades, em comparação ao primeiro quadrimestre 2014, quando foram comercializados 3.242 veículos.

Somente no mês de abril foram 1.294 automóveis emplacados, um aumento de 62% em comparação aos 800 veículos vendidos no mesmo período de 2014. Nesse período, os modelos Classe C e GLA foram responsáveis por 65% dos resultados, com 566 e 284 emplacamentos, respectivamente.

Por ora a empresa prefere não falar sobre índice de nacionalização e garante que não haverá transferências de linhas de outras unidades (Campinas, São Bernardo do Campo e Juiz de Fora).

Nelson Tucci é editor de Veículos & Negócios, do Jornal PERSPECTIVA.

Leia toda segunda-feira emwww.veiculosenegocios.blogspot.com.br