Edição 271Agosto 2017
Sábado, 23 De Setembro De 2017
Editorias

Publicado na Edição 258 Julho 2016

Divulgação

Mais tecnologia no “Gol da Virada”

Novo motor 3 cilindros  deu um “up” no Gol

Mais tecnologia no “Gol da Virada”

Nelson Tucci

Lançado em 1980, o VW Gol pelejou sete anos para conquistar a liderança no mercado brasileiro, mas quando chegou lá fincou bandeira por 27 anos. Assim como no futebol, o veículo Gol caiu em 2014. E a marca nem faz questão de lembrar o ano de 2015… Perdeu 32,4% de vendas. Fosse possível comparar friamente os números, foi uma espécie de 7×1 multiplicado por 4,5 vezes. Mas a exemplo do esporte maior no país, este modelito popular quer resgatar a sua história em 2016. E sai à luta. Ainda é cedo pra se avaliar o trabalho de Tite na seleção de futebol, mas no automóvel já é possível se apostar algumas fichas. Em junho último foi o quarto modelo melhor posicionado no ranking e em julho (primeira quinzena) faltaram apenas 170 unidades para ele terminar no G4. Existe um esforço de recuperação e a briga com a concorrência é forte, mas as perspectivas já são bem melhores do que nos 30 meses pretéritos.

Veículos & Negócios deu um bom rolé com o Gol 1.0 Comfortline. O modelo vem com ar, direção, computador de bordo, bons faróis de neblina, rádio AM/FM com bluetooth e travas/vidros elétricos. Com rodas de liga leve, aro 15, e os chamados “pneus verdes” 195/55, de baixa resistência ao rolamento, o consumo melhorou, e não há perda de estabilidade. As linhas externas foram modernizadas, com uma frente bonita e as lanternas traseiras, quadradas, redesenhadas.

O câmbio manteve a boa performance da marca. Mas o ponto alto, cabe destacar, é o motor. Com perdão do trocadilho, o novo 3 cilindros – feito sob medida para o caçulinha – deu um “up” no Gol. Do modelo antigo, de 4 cilindros, para o atual, é a mesma diferença entre um gol de bico e um de bicicleta, no esporte…

Esta nova tecnologia, que contempla um motor menor e mais potente, elevou o status do modelo também, pois segundo a classificação do Inmetro, o seu nível de consumo saiu da classificação “B”, saltando para “A”. Com o novo motor, o carro ficou mais viril, melhorando a potência de antigos 72/76 cv para atuais 75/82 cv.

Rodamos com gasolina. Com três pessoas, na cidade chegou a 14 km/litro e na estrada a média foi de 16,9 km/litro. Uma marca realmente respeitável e animadora para aquele que carrega a responsabilidade de ser o gol da virada.

Leia Veículos & Negócios atualizada semanalmente em www.veiculosenegocios.blogspot.com.br