Edição 308Setembro 2020
Sábado, 24 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 299 Dezembro 2019

Divulgação

Expectativa por “boom” dos veículos elétricos

EPE projeta vendas de 180 mil carros eletrificados por ano

Expectativa por “boom” dos veículos elétricos

Estacionamentos, prédios, shoppings e demais construções já se preparam para receber a onda de carros elétricos que promete chegar ao Brasil em 2020. Esses locais estão sendo construídos ou adaptados para receber tomadas especiais para o carregamento destes veículos. Ainda tímido, o mercado nacional de automóveis elétricos conta com caros e limitados modelos disponíveis. São 11 mil carros elétricos e híbridos (que funcionam tanto a combustão como a bateria elétrica), que variam de R$ 150 mil a R$ 500 mil. Contudo, numa tendência sem volta, somente a JAC Motors anunciou a vinda de 5.000 unidades para o Brasil em 2020. E uma estimativa apresentada pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) projeta que em 2030 as vendas acelerem para 180 mil carros eletrificados por ano.

Pensando neste mercado, a Reymaster, distribuidora de materiais elétricos com unidades em Curitiba e Joinville, comercializa produtos para recarga de veículos elétricos. São carregadores de carros elétricos, também conhecidos como estações de carregamento ou eletroposto. Entre os modelos está o EVLink, fabricado pela Schneider Eletric e compatível com a maioria dos modelos. “Aqui em Curitiba e Santa Catarina diversas construtoras já estão prevendo em seus projetos carregadores para veículos elétricos, não só carros, mas patinetes, bicicletas e até motos”, comentou Marco Stoppa, diretor da Reymaster, durante demonstração que a Schneider realizou na distribuidora com o seu carro elétrico.

“Procuramos trazer cada vez mais para o nosso dia a dia este conceito de sustentabilidade que é tendência no mundo todo”, disse Rafael Marchiori, consultor da Schneider Electric: “Para isso, viajamos pelo país demonstrando este carro e seu funcionamento, que é 100% elétrico e não possui nenhum tipo de emissão de gases poluentes”. A demonstração também foi realizada na empresa coligada à Reymaster, a Engerey Painéis Elétricos.

Responder