Edição 285Outubro 2018
Quinta, 15 De Novembro De 2018
Editorias

Publicado na Edição 285 Outubro 2018

Acervo FAMS

Forte da Estacada

Atuação como “fogo cruzado” ao lado do Forte da Barra Grande

Forte da Estacada

O local onde hoje está situado o Museu de Pesca, no passado, já foi uma fortaleza. Construída, em 1734, por João de Castro Oliveira, esta fortificação tinha a missão de atuar como “fogo cruzado” ao lado do Forte da Barra Grande, de modo a fechar real e totalmente a entrada do porto. O lugar, segundo alguns historiadores, foi nos primeiros tempos coloniais um dos pontos de desembarque do Porto de S. Vicente ou da Capitania de S. Vicente, onde teria fundeada a armada de Martim Afonso e seu irmão Pero Lopes de Sousa.

Quando foi planejado, era pra ser um forte completo, com uma planta quadrangular e quatro baluartes. Porém, sem recursos, só uma das faces foi concluída. O restante foi feito com madeiras em estaqueamento.

Era a fortaleza de primeiro combate às forças que vinham pela Barra. Tanto que foi a única que disparou contra o cruzador República, durante a tentativa de invasão pelos membros da Revolta da Armada, em 1893.

No começo do século XX, a construção do forte já não existia mais. Apenas restavam os canhões, entre as dunas de areia. Assim, com a inauguração do Forte Itaipu, sua área acabou sendo ocupada, a partir de setembro de 1909, pelo prédio da Escola de Aprendizes-Marinheiros, o atual Museu de Pesca, na Ponta da Praia. No local ainda existe um canhão Withworth, de 1860, de fabricação inglesa.

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br