Edição 310Novembro 2020
Segunda, 30 De Novembro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 244 Maio 2015

Acervo FAMS

De Escola de Marinheiros a Museu de Pesca

Museu de Pesca: de fortaleza, passando por escola de marinheiros...

De Escola de Marinheiros a Museu de Pesca

Quem não se encanta com o belo prédio onde está abrigado o Museu de Pesca? No passado distante, aquele lugar foi ocupado por uma fortaleza. Sim, o Forte Augusto, ou da Estacada, que fazia tiro cruzado com a Fortaleza da Barra Grande, cuja construção se deu em 1734.

Foi no início do século XX, mais precisamente em 1909, que o local foi ocupado pelo edifício atual, de imponente arquitetura, construído para abrigar a Escola de Aprendizes Marinheiros, cuja missão era educar jovens adolescentes, através de instrução primária e de marinharia. Seus alunos, em tese, seriam aproveitados como marujos da Armada Nacional. A escola era a única do gênero em todo o Estado e funcionou até o final de 1931, quando foi extinta por determinação do Governo Provisório da República.

A partir de 1932, o edifício tornou-se sede da Escola de Pesca do Estado de São Paulo e recebeu a denominação “Instituto de Pesca Marítima”. Ali, os filhos dos pescadores da região recebiam educação gratuita, através de cursos vocacionais e profissionais.

Os cursos encerraram suas atividades na década de 1950. Foi aí que surgiu a ideia de se montar um espaço museológico, aproveitando o material remanescente do Museu de História Natural, que funcionava anexo ao Instituto. A maior estrela, até hoje, do Museu de Pesca, a ossada da Baleia, é oriunda dos tempos em que esse departamento era conhecido como Gabinete de História Natural. Foi em 1942 que ocorreu a montagem do esqueleto de uma baleia que havia encalhado em uma praia de Peruíbe, litoral sul do Estado de São Paulo.

O museu adquiriu “status” de unidade funcional apenas em abril de 1969. Em 1998, o prédio teve a sua maior reforma concluída, apresentando um arrojado projeto de exposições. A edificação da Ponta da Praia nasceu como escola em 1909. Em 1942, o Gabinete de História Natural ganhou status, espaços e se tornou no Museu de Pesca que conhecemos hoje.

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br

Responder