Edição 320Setembro 2021
Sábado, 16 De Outubro De 2021
Editorias

Publicado na Edição 319 Agosto 2021

Nem cão, nem gato. Meu pet é um…

Nem cão, nem gato. Meu pet é um…

Divulgação

Com hábitos diurnos, a iguana não deve ser acordada durante a noite

Para quem não quer ter um cão ou um gato como pet, há outros animais que podem ser acolhidos como o melhor amigo. Cada qual com sua característica, o médico veterinário Eduardo Ribeiro Filetti detalhou aspectos sobre dois deles, com dicas de cuidados indispensáveis visando manter a segurança e a saúde do animal.

Sobre a iguana, Filetti, que é professor universitário e mestre em Saúde Pública, esclarece que em cativeiro a espécie vive em média 20 anos. “A iguana é altamente domesticável e costuma responder ao dono com afetividade”, observou, ao detalhar que chega a atingir um comprimento de até 1,80 metro, necessitando de um terrário especial com lâmpadas UV além de luz solar, pois só assim consegue sintetizar vitamina D3, que é responsável pela fixação de cálcio a nível ósseo.

Com hábitos diurnos, a iguana não deve ser acordada durante a noite, sob risco de gerar problemas comportamentais. A alimentação é baseada em folhas de brócolis, folhas externas do repolho, couve-flor, cenoura, morangos, abóbora, flores e esporadicamente insetos e frutas; e deve ser oferecida a cada dois dias.

Ao se acasalar, a fêmea coloca cerca de 30 ovos que levam de 80 a 100 dias para eclodirem.

Na hora de comprar uma iguana é importante observar alguns fatores: postura ereta; coloração verde bem viva; não apresentar escoriações na pele; não apresentar secreção de muco nas narinas e boca.

Outra espécie interessante é o periquito australiano, que em cativeiro vive entre 7 e 8 anos. Ele costuma ser curioso e brincalhão e, se for acostumado desde pequeno, aprende diversos truques, como receber alimentação na mão do dono. Sua alimentação é baseada em sementes de alpiste, painço, além de cenoura e maçã.

O periquito australiano não se adapta em ambientes frios, podendo nesta situação desenvolver doenças da tireoide, que geralmente são fatais, e na fêmea ocorre retenção de ovos.

O macho torna-se sexualmente ativo com 10 meses de idade, enquanto a fêmea apenas com 1 ano. A incubação dos ovos leva 18 dias e o cuidado com os ovos é feito apenas pela mãe, sendo comum o macho atacar o ninho para comer os ovos. Uma forma de desestimular esta ação é colocar um ovo de madeira no ninho.

Divulgação

Periquito australiano não se adapta em ambientes frios

Responder