Edição 308Setembro 2020
Quarta, 21 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 304 Maio 2020

Dicas para prevenir a obesidade do pet

Dicas para prevenir a obesidade do pet

Doença pode levar a problemas digestivos

OBESIDADE é um problema muito comum nos animais de estimação e pode ser definida como um acúmulo excessivo de gordura no organismo. O animal se torna obeso, explica o médico veterinário Eduardo Ribeiro Filetti, por meio de ingestão acima do normal de calorias, pela vida sedentária ou restrição de exercícios, predisposição genética, alterações endócrinas, como a hipofunção de tireoide ou da adrenal, dietas desbalanceadas ou em alguns casos de estresse.

Alguns animais obesos tem maior propensão a desenvolverem problemas digestivos, pancreáticos e dermatológicos. A obesidade excessiva pode levar alguns animais a terem problemas cardiovasculares principalmente quando idosos. A obesidade pode ser tanto a causa quanto a consequência de uma longa série de problemas de saúde.

“A nossa experiência com este tipo de problema revela a necessidade de um exame clínico no animal para determinar a causa desta obesidade”, alerta Filetti, que é professor universitário e mestre em Saúde Pública: “Esta é a única maneira de intervir no processo e tentar ajudar o animal a emagrecer e se tornar mais saudável”.

Independentemente do resultado da avaliação médica, o proprietário deverá seguir as algumas dicas para diminuir o peso do seu animal de estimação, tais como levar o amiguinho para passear regularmente, verificar se as vacinas estão atualizadas, evitar remédios sem orientação do médico veterinário, não deixar o pet por perto durante as refeições da família para que ele não receba alimentação extra inadequada, fornecer dieta ou ração balanceada na quantidade suficiente, de acordo com o porte, evitar doces, massas, frituras, alimentos temperados e gordurosos.


Lord: afeto físico, próximo e aconchegante

O RESIDENCIAL Club Leger, na capital paulista, integrou ao seu quadro um cachorro da raça golden retriever, o Lord, como forma de permitir que os residentes possam ter momentos de afeto físico, próximo e aconchegante. A psicóloga do residencial, Daniela Bernardes, afirma que estudos apontam os benefícios que a Terapia Assistida por Animais (TAA), ou Pet Terapia, pode produzir à qualidade de vida dos idosos. Segundo ela, esse tipo de atividade permite exercitar aspectos como habilidades sociais, humor e cognição. A história do Lord é significativa. Vítima de maus tratos, ele chegou ao residencial machucado e passou por período de recuperação. Agora, retribui distribuindo afeto e alegria a quem não pode ter contato direto com amigos e familiares, especialmente nesses dias de pandemia.

Responder