Edição 308Setembro 2020
Quinta, 22 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 304 Maio 2020

Murray

Autonomia para as Confederações e valorização dos atletas

Alberto: “É necessário resgatar a plena credibilidade do Movimento Olímpico do Brasil”

Autonomia para as Confederações e valorização dos atletas

Alberto Murray Neto

O mundo do esporte vem passando por transformações profundas. É imperioso modernizar a forma de relacionamento entre o Comitê Olímpico, as Confederações desportivas e os atletas. É com esse objetivo que minha proposta de Agenda Positiva para a presidência do Comitê Olímpico do Brasil prevê como principais pilares a autonomia das Confederações e a valorização dos atletas.

É necessário, urgentemente, que seja aumentado o piso de recursos que são transferidos do Comitê Olímpico para as Confederações. A maioria delas chega ao final do ano em condições precárias, dependendo da boa vontade do Comitê Olímpico para pagar suas contas básicas. Isso não pode ser assim. O dinheiro que o Comitê Olímpico arrecada em decorrência da Lei Piva (dinheiro das loterias) é para fomentar o esporte olímpico. Esse é o espírito da lei. O Comitê Olímpico é apenas o repassador dessa verba e o encarregado pelo controle da prestação das contas. Portanto, a equação Comitê Olímpico sempre mais rico em detrimento das Confederações tem que mudar.

Quanto aos atletas, esses são a razão de tudo isso existir. Se não houver atleta, não há esporte, não existem Jogos Olímpicos. Em benefício deles devem ser empregados todos os esforços. Os atletas devem participar ativamente da gestão do esporte, ocupando cargos de relevância nas entidades. Sou favorável, também, que os atletas que trabalham na Comissão de Atletas sejam remunerados. É justo e isonômico.

É necessário resgatar a plena credibilidade do Movimento Olímpico do Brasil, para que se possa atrair novamente o capital privado. Com a pandemia, as empresas deverão buscar novas formas de propaganda e o esporte pode ser uma excelente opção. Para isso ele precisa estar bem organizado e gerido de maneira plural, com ética e transparência.

Alberto Murray Neto é advogado do escritório Murray – Advogados, de São Paulo.

Responder