Edição 273Outubro 2017
Sexta, 24 De Novembro De 2017
Editorias

Publicado em 9/07/2016 - 2:40 pm em | 0 comentários

Ivan Storti/Divulgação Memorial

Yamaguchi mantém cinturão, agora de olho no título mundial

Yamaguchi mantém cinturão latino: nocaute aos 54 segundos do segundo rounde

Yamaguchi mantém cinturão, agora de olho no título mundial

O brasileiro Yamaguchi Falcão, da Memorial Necrópole Ecumênica, confirmou o favoritismo e nocauteou o colombiano Devis “El Felino” Caceres, no Desafio Internacional de Boxe realizado ontem no Mendes Convention Center, em Santos.

Com a vitória, Yamaguchi manteve o cinturão latino do Conselho Mundial de Boxe (CMB), peso médio, e deu um passo importante para se habilitar à disputa do título mundial da categoria.

Yamaguchi fez a luta principal do card de oito combates. Com uma carreira em ascensão, desde a medalha olímpica em Londres, em 2012, logo no primeiro rounde Yamaguchi demostrou toda sua superioridade sobre El Felino, combinando diretos e cruzados, que fizeram o colombiano balançar. O nocaute, contudo, veio somente aos 54 segundos do segundo ronde.

“Esta vitória, com certeza, melhora minha posição no ranking do Conselho Mundial de Boxe”, comentou Yamaguchi, ao agradecer a confiança dos patrocinadores: “Vou continuar forte nos treinamentos, pois sei que quanto mais me aproximo do título mundial os adversários vão ficando mais difíceis”.

Na disputa do título brasileiro, peso pena, pela Confederação Brasileira de Boxe Profissional (CBBP), o guarujaense Aélio “Biro” Mesquita nocauteou o baiano Juciel Lima Nascimento. Primeira luta da noitada de boxe, a torcida no Mendes Convention agitou Biro, que já no primeiro rounde, após uma sequência de golpes precisos, fez Juciel desabar aos 2 minutos e 32 segundos.

Biro segue os passos do pai “Xuxa” Nascimento, que fez e continua fazendo história no boxe. “Estou muito feliz com este título brasileiro”, declarou emocionado, após a vitória: “A conquista do meu primeiro cinturão só faz aumentar minha responsabilidade, porque sei que precisarei estar preparado para defendê-lo”.

Outro momento de muita emoção foi quando o tetracampeão mundial Acelino “Popó” – três vezes pela Organização Mundial de Boxe (OMB) e uma pela Associação Mundial de Boxe (AMB), nas categorias super-pena e leve – subiu no ringue para homenagear o lutador de MMA Fabio Maldonado.

Popó entregou um troféu simbólico a Maldonado, como desagravo pela decisão polêmica na recente luta contra a lenda do MMA, o russo Fedor Emelianenko, o “Último Imperador”, em São Petersbusgo. Apesar da evidente vitória do brasileiro, os juízes decidiram, de forma não unânime, a favor de Fedor – uma decisão que será avaliada pela organização do evento, que formou comissão com juízes de vários países.

Nas outras seis lutas do desafio internacional de boxe o público assistiu combates de nível, confirmando cada vez mais a fama de Santos como “capital nacional do boxe”.

O super leve santista Rodolfo Karbstain venceu por nocaute o paulista Wenes Barbosa, a 1 minuto e 16 segundos do terceiro rounde.

Decisão já no primeiro rounde, o super galo Phabro Caetano Ribeiro, de Barueri, impôs nocaute técnico ao baiano Luciano Santos aos 55 segundos de luta.

O galo Leandro “O Russo” Rufino, de Sorocaba, venceu Lucas de Oliveira, por nocaute técnico, aos 2 minutos e 31 segundos do segundo rounde.

Numa luta disputada, peso cruzador, o paranaense radicado em Santos Rogério “Toro” Cacciatore perdeu para o paulista Daniel “Criminal D” Paixão por nocaute técnico aos 44 segundos do quarto rounde.

Em outro combate internacional, peso pena, o colombiano Walberto Ramos foi derrotado pelo brasileiro Adeilson dos Santos, por nocaute técnico, aos 2 minutos e 36 segundos do segundo rounde.

Encerrando a noitada de boxe, o peso médio paulista Douglas Damião Ataíde venceu por pontos, por unanimidade, o baiano Valdevan Pereira.

A realização do desafio internacional de boxe foi da Memorial Necrópole Ecumênica, Arano Box, Golden Boy e IBG, com apoio da Prefeitura de Santos, Beneficência Portuguesa de Santos e Shopping Pátio Iporanga.