Edição 283Agosto 2018
Quinta, 20 De Setembro De 2018
Editorias

Publicado em 2/07/2018 - 8:23 am em | 0 comentários

Divulgação

Os 50 anos do Corcel

O projeto original era da Willys com a Renault

Os 50 anos do Corcel

Nelson Tucci

O Ford Corcel completa 50 anos de seu lançamento no Brasil. É, certamente, um daqueles modelos que marcaram época e foi sucesso da marca no país. Durante seus 18 anos de vida (de 1968 a 1986), somou 1,4 milhão de unidades produzidas e criou um novo padrão no segmento de carros médios, dando origem a uma família completa que incluiu a perua Belina, a picape Pampa, o sedã de luxo Del Rey e a perua Del Rey Scala.

O Corcel teve como base o chamado projeto “M”, que a Willys-Overland do Brasil desenvolvia em parceria com a Renault quando foi adquirida pela Ford em 1967. A versão final incluiu adaptações no motor, câmbio e suspensão. O nome Corcel, escolhido entre 400 opções, foi inspirado no sucesso do Mustang. Com linhas simples e equilibradas, o sedã familiar de quatro portas e tração dianteira (que provocou sobrecarga na cruzeta, situação só resolvida no Corcel II) surpreendeu pelo espaço interno, pela visibilidade e pelo conforto dos bancos. A direção, mesmo sem ter assistência hidráulica, era leve de manobrar. Seu motor 1.3 foi o primeiro a trazer radiador selado, que dispensava a reposição de água.

A remodelação da linha chegou no final de 1977, com o Corcel II, trazendo uma carroceria nova de duas portas – a preferência na época –, nas versões L básica, LDO de luxo e esportiva GT. Por ser mais larga e mais baixa ela fazia o carro parecer maior, apesar de ter praticamente o mesmo comprimento. Lançado com motor 1.4, o Corcel II passou a ser equipado em 1979 com um propulsor 1.6, mais potente. Em 1980, ele introduziu o 1.6 a álcool.

Leia mais em www.veiculosenegocios.blogspot.com.br

Veículos & Negócios é publicada mensalmente na versão impressa do jornal Perspectiva e atualizada semanalmente no blog.