Edição 294Julho 2019
Domingo, 18 De Agosto De 2019
Editorias

Publicado em 30/03/2019 - 7:55 am em | 0 comentários

Divulgação

Nutricionista elenca dicas para manter a alimentação equilibrada

Em busca de longevidade e qualidade de vida

Nutricionista elenca dicas para manter a alimentação equilibrada

Amanhã, Dia Nacional da Saúde e Nutrição, é um excelente momento para refletir sobre a importância de cuidar da alimentação, visando longevidade e qualidade de vida. Neste sentido, a nutricionista Mariana Maciel, da rede de centros médicos dr.consulta, elencou 10 passos para uma alimentação saudável, indicados pelo Ministério da Saúde.

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação. Na hora de selecionar o que deve ser ingerido diariamente, as pessoas devem dar preferência para alimentos frescos, que não tenham passado por nenhum ou pouco processo de beneficiamento, como grãos, raízes, legumes, verduras, frutas e etc. “Evite consumir alimentos industrializados e prontos para o consumo. A orientação é para tentar desembalar menos e preparar mais os alimentos em casa, envolvendo a família sempre que possível. Pode ser mais divertido e certamente será mais saudável”, afirma Mariana.
  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias. Muitos consideram todos esses itens grandes vilões da alimentação. O que nem todo mundo sabe é que quando bem escolhidos e bem dosados, eles contribuem para o desenvolvimento e funcionamento do nosso corpo: “Como o brasileiro em média consome sódio demais, vale estar atento para diminuir a adição de sal nos alimentos preparados e também evitar os que contêm sódio demais em sua composição, como temperos prontos, molho inglês e de soja, salgadinhos e petiscos, alimentos em conserva, enlatados, embutidos e curados, entre outros”.
  3. Limitar o consumo de alimentos processados. Como todo ser humano, vez ou outra não é pecado comer alimentos processados. Porém, com certeza não devem ser a base do cardápio diários. Isso porque o modo de preparo desses alimentos altera de maneira desfavorável sua composição nutricional. “Procure aumentar os alimentos ricos em fibras e integrais, pois eles diminuem a absorção do colesterol, são mais nutritivos e ajudam no trânsito intestinal. Exemplos: arroz e pão integral, cereais integrais, vegetais e frutas crus e com casca, sementes e frutas secas”.
  4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados. Biscoitos recheados, salgadinhos de pacote, refrigerantes e macarrão instantâneo são alguns dos exemplos de alimentos ultraprocessados. Por conta de sua composição, possuem pouco ou nenhum valor nutricional. “Leia sempre o rótulo dos alimentos e a lista de ingredientes. Procure sempre aqueles que você conhece todos os ingredientes e tenham a menor quantidade de aditivos”.
  5. Comer com regularidade e atenção em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia. É importante manter uma rotina de alimentação, tentando ter uma regularidade nos horários das refeições principais, como café, almoço e janta, além de evitar ficar beliscando ao longo do dia. Preste atenção no que você está levando à boca; o momento da refeição tem que ser prazeroso e aproveitado. Procure comer acompanhado, em locais limpos, confortáveis e tranquilos e onde não haja estímulos para o consumo de grandes quantidades de alimento. Isso favorece o comer com regularidade e atenção. “Coma sentado, devagar, mastigando bem, descansando os talheres a cada garfada e não combine a refeição com outras atividades como ler ou assistir televisão”.
  6. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados. Apesar de não estar diretamente relacionado ao ato de comer, o local onde são feitas as compras pode influenciar e muito na escolha de alimentos e em como as refeições serão montadas posteriormente. Assim, busque mercados que possuam a parte de hortifruti, feiras livres etc. “Fique atento também para não sair de casa com fome. Isso interfere bastante na escolha das compras e nas quantidades. E sempre que possível, opte por alimentos orgânicos”.
  7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias. Procure aprender técnicas culinárias diferentes para variar os modos de preparo e deixar o cardápio mais apetitoso. “Troque com familiares e amigos conhecimento e aprendizados. Isso enriquece não somente o prato, como também nossas relações com as pessoas que nos cercam. Isso faz com que desfrutemos mais da alimentação e garantimos a origem e o preparo do que comemos”.
  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece. Busque dedicar um tempo à organização de sua despensa, assim como se planejar para fazer as compras e montar cardápios semanais. Procure dividir com a família as tarefas que remetem ao preparo das refeições. “Todos saem ganhando saúde e qualidade de vida, afinal a alimentação faz parte do nosso seguro de vida. Não podemos deixar para comer o que der, quando der”.
  9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora. A correria do dia a dia não permite que tenhamos uma refeição preparada por nós mesmos, de maneira fresca, todos os dias. Vez ou outra precisamos comer fora e, apesar de todas as tentações disponíveis, é importante selecionar um local que prepare suas refeições na hora, como restaurantes de comida por quilo. “Evite grandes redes e fastfoods ou locais que ofereçam comidas congeladas”.
  10. Ser crítico quanto às informações e orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais. Tenha em mente que a publicidade visa vender produtos, não oferecer informações de qualidade. Preste a atenção nas mensagens que forem passadas e absorva-as com um olhar crítico. “Se tiver alguma dúvida sobre algum produto, cheque com um especialista”.

Finalmente, a nutricionista sugere a paciência, pois o processo de reeducação alimentar e a adoção de um estilo de vida mais ativo não pode e nem deve ocorrer subitamente: “Para ser duradouro, deve ser um processo longo e vagaroso”.

O dr.consulta é uma rede de centros médicos que tem o objetivo de simplificar o cuidado com a saúde, sendo uma alternativa aos planos de saúde e ao SUS.  É possível agendar, até para o mesmo dia, consultas, exames, dentistas e pequenas cirurgias em poucos minutos pelo site, telefone ou aplicativo. Isso sem contar a acessibilidade, já que há dezenas de centros médicos disponíveis. São 49 unidades em São Paulo e Grande São Paulo, quatro no Rio de Janeiro e quatro em Belo Horizonte.