Edição 271Agosto 2017
Quinta, 21 De Setembro De 2017
Editorias

Publicado em 14/09/2016 - 10:24 pm em | 0 comentários

Divulgação

Lauro Chaman conquista medalha inédita no Ciclismo de Pista

Técnico da equipe Memorial-Santos/Fupes, Cláudio Diegues, e Lauro Chaman: “Essa medalha é de todos nós!”

Lauro Chaman conquista medalha inédita no Ciclismo de Pista

O paraciclista Lauro César Chaman, que integra a equipe Memorial-Santos/Fupes, conquistou o bronze inédito para o Brasil na prova de estrada contrarrelógio, categoria C-5, hoje, nas Paralimpíadas Rio 2016. A prova aconteceu na avenida beira-mar, na Zona Oeste, e foi disputada por 14 atletas.

Chaman completou os 30 km do circuito com o tempo de 37min37s43, atrás do australiano Alistair Donohoe, com 37min33s36, que ficou com a prata, e do ucraniano Yeho Dementyev, com 36min53s23, que conquistou o ouro. Soelito Gohr, também da equipe Memorial-Santos/Fupes, terminou em nono lugar, com o tempo de 40min49s70.

“Seria egoísmo falar que essa medalha é só minha”, declarou, ao comemorar a medalha inédita na modalidade: “Essa medalha é de todos nós, da nossa Comissão Técnica, do Soelito, da Confederação Brasileira de Ciclismo, do Comitê Paralímpico, que sempre acreditaram em meu potencial”.

Chaman também agradeceu o patrocínio da Prefeitura de Santos e da Memorial Necrópole Ecumênica, citando o presidente Pepe Altstut como o empresário que mais apoia o esporte nacional, além do coordenador técnico da equipe Memorial-Santos/Fupes, Cláudio Diegues.

“Nenhum atleta consegue conquistar nada sozinho. Meu nome pode até ficar na história como o primeiro a conquistar medalha, mas com certeza tiveram muitas pessoas envolvidas para eu conseguir isso e só tenho a agradecer a todos eles e a todos os brasileiros que torceram”, frisou o paraciclista.

O resultado, afinal, veio de uma estratégia de equipe: na parcial dos 15 km, Chaman chegou a liderar a prova, com Soelito em terceiro, porém, na metade final da competição os brasileiros não conseguiram manter as posições.

Ao avaliar a conquista do bronze, Soelito, que completa hoje 43 anos de idade, enalteceu a performance de Chaman: “O resultado veio, fico feliz pela vitória dele, ainda mais ele dedicando essa vitória a mim. Não tive condições de ter pego essa medalha, mas a considero uma parte também minha. Foi um sofrimento sadio, coroado com essa medalha. Nunca vou esquecer esse dia na minha vida. Sábado tem mais. Espero que consigamos trazer mais medalhas”.

No sábado, às 9h30, Chaman e Soelito disputam a prova de resistência nas Paralimpíadas Rio 2016.