Edição 308Setembro 2020
Quinta, 22 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado em 11/07/2020 - 7:15 am em | 0 comentários

Divulgação

Grande São Paulo, Baixada Santista e Vale do Ribeira avançam à fase amarela

Plano SP: melhora gradual nos índices de saúde

Grande São Paulo, Baixada Santista e Vale do Ribeira avançam à fase amarela

Ao anunciar ontem a prorrogação da quarentena até 30 de julho, o governo do estado de São Paulo revelou que está havendo uma melhora gradual de indicadores de controle da pandemia e aumento da capacidade hospitalar. Diante dos números, ao mesmo tempo em que nenhuma região regrediu de posição na sexta atualização do Plano SP, foi possível o avanço para a fase amarela das regiões da Grande São paulo, Baixada Santista e Vale do Ribeira.

“O Plano São Paulo é uma ferramenta de abertura consciente da economia, a prioridade é o controle da doença e a obediência à saúde e à medicina. Iniciamos nova fase que resgata nossa esperança e alimenta nosso otimismo”, afirmou o governador João Doria.

A nova classificação vale a partir de segunda-feira 13. Em relação à semana anterior, somente municípios abrangidos por quatro das 17 regiões permanecem na fase vermelha de restrição total de atividades não essenciais: Araçatuba, Campinas, Franca e Ribeirão Preto.

Agora são 10 regiões e uma sub-região metropolitana na fase laranja. As áreas de Bauru, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente e Sorocaba avançaram da fase vermelha, e permaneceram estáveis as de Araraquara, Barretos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Taubaté e a sub-região Norte (Franco da Rocha) da Grande São Paulo.

“Hoje, nós temos 83% da população do estado nas fases amarela e laranja. Com isso, podemos verificar os resultados do Plano São Paulo em várias regiões, nas quais foi necessário endurecer a abordagem nas últimas semanas, algumas passaram por longo período de restrições, mas hoje colhem os frutos destas medidas”, afirmou o secretário Marco Vinholi.

A etapa laranja permite funcionamento com 20% da capacidade de atendimento presencial em escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias. A abertura é restrita a quatro horas diárias, todos os dias, ou seis horas durante quatro dias e fechamento por outros três.

Para a etapa amarela, avançaram Baixada Santista, Registro e as sub-regiões Leste (Alto Tietê) e Oeste (Osasco) da Grande São Paulo. Todas as cidades destas áreas se juntam à capital e às sub-regiões Sudeste (ABC) e Sudoeste (Taboão da Serra) da região metropolitana e poderão seguir rígidos protocolos sanitários para reabrir bares, restaurantes, salões de beleza com 40% da capacidade, academias com 30% e expediente diário de até seis horas na próxima semana.

As regiões que permanecerem por 28 dias seguidos na etapa amarela também poderão reabrir, com limitações, espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos. Se a estabilização da pandemia se mantiver até o final do mês, a capital e as sub-regiões do ABC e de Taboão da Serra poderão obter essa permissão no próximo dia 27.

As três próximas atualizações programadas do Plano São Paulo estão previstas para os dias 24 de julho e 7 e 21 de agosto. Os índices epidemiológicos e capacidade hospitalar são verificados semanalmente e, em caso de piora acentuada, pode haver regressão de fase em caráter extraordinário. Tal medida já foi adotada em 19 de junho, nas regiões de Registro e Marília, e em 3 de julho, na área de Campinas.

Capacidade hospitalar

Segundo os indicadores de saúde nesta sexta atualização, a ocupação de leitos para atendimento a pacientes graves de Covid-19 é satisfatória na maioria das regiões, mas há alerta em relação a cidades dos DRSs de Campinas (80%), Franca (85%) e Ribeirão Preto (88%), além de atenção especial a Barretos (78%), Piracicaba (78%) e Sorocaba (74%).

A média estadual é de 65% de ocupação em leitos de terapia intensiva, com aumento de um ponto percentual em relação à semana passada. A média de leitos de UTI para casos graves de coronavírus permanece em 20,2 vagas para cada cem mil habitantes.

Reabertura de parques

O governador Doria também anunciou a retomada gradual de visitação dos parques estaduais na capital, que se encontra na fase amarela do Plano São Paulo. Nove dos 16 parques estaduais estarão abertos com restrição de portões e de horário de funcionamento e regras específicas. A Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente vai monitorar as atividades e o comportamento da população nos espaços durante as primeiras semanas para deliberar sobre a abertura integral.

Os parques estaduais urbanos Villa-Lobos, Candido Portinari, Água Branca e Ecológico do Tietê funcionarão de segunda a sexta, das 10 às 16 horas. Espaços fechados como bibliotecas, salas de atividades, museus e orquidários permanecerão com restrição. Será recomendada visita ao parque apenas para atividades físicas individuais como corridas, caminhadas, ciclismo, entre outras.

O mesmo horário será seguido pelos parques estaduais naturais Jaraguá e Cantareira (Núcleo Pedra Grande), cujas visitas deverão ser agendadas com antecedência mínima de 24 horas por meio do site da Fundação Florestal, órgão responsável pelas duas Unidades de Conservação, e obedecer ao limite de 30% da capacidade. As trilhas com ocorrência de mamíferos e cachoeiras permanecerão fechadas.

Já o Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico estarão abertos de segunda a sexta-feira, das 10 às 16 horas; sábados, domingos e feriados das 9 às 16 horas, com restrição de 50% dos ingressos. Nesta etapa, apenas a área de visitação aberta poderá ser utilizada. Os espaços fechados, tais como as exposições educativas, continuarão sem receber visitantes. Para visitação ao Zoo Safári, será permitido uso apenas de veículos particulares (o serviço de vans estará suspenso). O acesso às áreas comuns, como sanitários, lanchonetes e loja de lembranças, será permitido mediante utilização de máscara. Para o acesso de veículos, haverá desinfecção das rodas por meio de pulverizador e solução de hipoclorito de sódio na portaria.

Em todos os locais, a limpeza e desinfecção dos banheiros serão intensificadas. O uso de máscara continuará obrigatório, bem como o distanciamento social. Os permissionários de alimentação deverão seguir as regras específicas do setor e haverá totens com álcool gel em pontos estratégicos. Não será recomendado o uso de quadras e parquinhos.

Os protocolos estão disponíveis em  www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br

Parques Estaduais Urbanos

Água Branca

Av. Francisco Matarazzo, 455 – portão principal

Rua Dona Ana Pimentel, s/nº

Villa-Lobos

Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2.001 – portaria principal

Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1.025 – portão 3

Candido Portinari

Av. Queiroz Filho, 1.365

Parque Ecológico do Tietê

Rodovia Parque, 8.054

Agendamento Fundação Florestal

Cantareira (Núcleo Pedra Grande)

Jaraguá

Agendamento por meio do site www.ingressosonline.fflorestal.sp.gov.br, a partir de hoje

Zoológico e Zoo Safari

www.zoologico.com.br

Parques temáticos

Os parques temáticos e de diversão poderão reabrir a partir de 12 de outubro, em regiões que estejam na fase verde há pelo menos 28 dias consecutivos. Haverá limitações previstas no Plano São Paulo: ocupação máxima de 60%, público em pé com distanciamento social (haverá marcações para delimitar a distância mínima) e uso de máscaras em todos os ambientes. Também será necessário haver venda de ingressos ou inscrições online, com marcação de assentos e horários pré-agendados, e controle de acesso para garantir a lotação autorizada. Os parques deverão adotar protocolos específicos para o setor e para brinquedos que geram aglomeração.

Responder