Edição 273Outubro 2017
Domingo, 19 De Novembro De 2017
Editorias

Publicado em 7/11/2017 - 7:49 am em | 0 comentários

Alexandre Carvalho-A2img/Divulgação

Fórum Econômico Mundial para a AL discutirá a 4ª Revolução Industrial

Protocolo de intenção foi assinado no Palácio dos Bandeirantes

Fórum Econômico Mundial para a AL discutirá a 4ª Revolução Industrial

O governador Geraldo Alckmin assinou ontem, no Palácio dos Bandeirantes, o protocolo de intenção para realizar o Fórum Econômico Mundial para a América Latina (WEF, sigla em inglês) em São Paulo de 13 a 15 de março de 2018. Marisol Argueta, chefe do fórum para a América Latina, assinou pelo WEF. Também firmaram o documento o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, e o prefeito João Doria.

“Sediamos o Fórum em 2006 com grande sucesso, tanto que a partir daquela edição passou a ser um encontro anual”, lembrou o governador Geraldo Alckmin: “O mundo vive em um momento desafiador, com avanços da tecnologia que provocam mudanças nas relações de trabalho, na governança pública, no setor privado. Mas, além dos desafios, é um momento também de oportunidades, inclusive para a integração regional”.

Também participou da cerimônia a chefe da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI), Ana Paula Fava. Durante o encontro, os presentes começaram a discutir temas de interesse para inclusão na programação do Fórum. De acordo com Ana Paula, “o governo do Estado de São Paulo quer trabalhar para que o conteúdo do WEF esteja adequado à realidade brasileira”. A 4ª Revolução Industrial, seus desafios e desdobramentos, será um dos assuntos do WEF em São Paulo, que terá como tema oficial “América Latina num ponto de inflexão: formando uma nova narrativa”.

O protocolo de intenções formaliza as responsabilidades de cada uma das partes envolvidas e determina a criação de um grupo de trabalho com representantes dos signatários e de outras instituições relevantes para coordenar, apoiar e implementar os preparativos para a realização do evento, que não acontece no Brasil desde 2011, quando teve a cidade do Rio de Janeiro como sede.

O encontro em São Paulo servirá como plataforma para explorar três diferentes percursos: A Promoção de uma Liderança Responsável e de uma Governabilidade Ágil; A Garantia de Progresso Econômico para Todos; e o Potencial Aproveitamento da Quarta Revolução Industrial.

“A velocidade característica da quarta revolução industrial apresenta muitos desafios inquietantes na área de negócios, governo e da sociedade como um todo. O objetivo do encontro será aproveitar este impulso para ajudar a formar uma nova narrativa para a região que inclua a tecnologia, mas que também gere progresso econômico para todos”, explicou Marisol Argueta de Barillas, que lidera as Estratégias Regionais para América Latina e é membro do Comitê Executivo do Fórum Econômico Mundial.

O programa incluirá mais de 50 sessões pensadas para que os líderes possam tratar questões estratégicas de importância tanto a nível nacional como regional, debater possíveis soluções e como se envolver em mudanças a longo prazo.

O Estado de São Paulo foi convidado para sediar o evento em abril deste ano, quando o presidente do WEF, Klaus Schwab, esteve com Alckmin. O anúncio foi realizado pelo próprio governador no encerramento da última edição do Fórum Econômico Mundial para a América Latina em Buenos Aires, em 7 de abril. Também conhecido como “Mini Davos”, reúne a alta cúpula dos governos e principais lideranças do setor produtivo da região.

O Fórum Econômico Mundial é uma organização internacional localizada em Genebra, na Suíça, criada em 1971 por Klaus Schwab, seu atual presidente. O Fórum é responsável pela organização de encontros anuais na cidade suíça de Davos, com a participação e colaboração dos principais líderes políticos e empresariais do mundo. A próxima edição será no mês de janeiro.