Edição 292Maio 2019
Quarta, 19 De Junho De 2019
Editorias

Publicado em 22/03/2019 - 7:55 am em | 0 comentários

Divulgação

Dia Mundial da Água é alerta contra o desperdício, afirma dirigente

Novas tecnologias ajudam a reduzir o consumo hídrico em 40%

Dia Mundial da Água é alerta contra o desperdício, afirma dirigente

No mundo, mais de 2 bilhões de pessoas não contam com serviços mais básicos de água e saneamento, segundo o recém-divulgado Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos. “Água de qualidade é requisito básico para uma vida digna. Por isso, a preservação desse recurso é essencial para as futuras gerações. Nas regiões metropolitanas, o papel preponderante dos governos é reduzir o seu desperdício”, afirma o engenheiro Luiz Pladevall, presidente da Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente (Apecs) e vice-presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES/SP).

Para o Dia Mundial da Água, comemorado hoje, o dirigente ressalta que os impactos das mudanças climáticas deverão continuar afetando as cidades, principalmente aquelas das regiões metropolitanas, alterando a oferta de água para essas localidades. Ele lembra o período de estresse hídrico recente no Estado de São Paulo: “Não estamos livres de conviver com situações extremas novamente. Por isso, algumas medidas precisam avançar”.

Pladevall conta que a Austrália conviveu com situação semelhante, com alternâncias de seca e inundações, entre os anos de 1997 e 2009. O período foi considerado como a “seca do milênio”. Diante desse panorama, os australianos desenvolveram uma série de programas de gestão da demanda e uso racional da água. Por isso, já em 1995, a companhia de abastecimento hídrico de Sydney, a cidade mais populosa da Austrália, com mais de 4 milhões de habitantes, realizou ações para reduzir a demanda per capita de água em 25% até 2001 e 35% em 2011.

“Entre as soluções adotadas, os australianos buscaram aumentar a eficiência hídrica nas empresas e moradias por meio da oferta de tecnologias de baixo custo para melhorar a economia de água”, explica Pladevall. Segundo ele, o governo local subsidiou equipamentos de uso doméstico como chuveiros e sanitários com maior eficiência no uso de água: “Devemos pensar em medidas semelhantes, com a oferta a custos reduzidos de kits eficientes de uso da água”.

Outra forma de reduzir o consumo de água nas residências é estimular as construções de novas moradias e escritórios com tecnologias já existentes no mercado: “Elas podem reduzir em até 40% o consumo de água em comparação com as já existentes”.

A Apecs foi fundada em 1989 e congrega atualmente cerca de 40 das mais representativas empresas de serviços e consultoria em Saneamento Básico e Meio Ambiente com atuação dentro e fora do país.

Essas empresas reúnem parte significativa do patrimônio tecnológico nacional do setor de Saneamento Básico e Meio Ambiente, fundamental para o desenvolvimento social e econômico brasileiro, estando presente nos mais importantes empreendimentos do setor.