Edição 293Junho 2019
Quarta, 17 De Julho De 2019
Editorias

Publicado na Edição 291 Abril 2019

Acervo FAMS

Psicologia, literatura e música

Luiz Cancello, apaixonado pela literatura, trabalho e música: “Comecei a tocar violão aos 12 anos, e ainda hoje tenho mais amigos músicos do que amigos psicólogos. Meu meio social sempre foi o da música”

Psicologia, literatura e música

O psicoterapeuta e escritor Luiz Cancello foi entrevistado pelo Programa Memória-História Oral da Fundação Arquivo e Memória de Santos (Fams) em 26 de julho de 2017. Em seu depoimento, Cancello fala sobre seu nascimento em casa, com parteira, na Rua Pernambuco, seus estudos no ginasial do tradicional Colégio Canadá, sua paixão pela literatura, pelo seu trabalho e pela música: “Comecei a tocar violão aos 12 anos, e ainda hoje tenho mais amigos músicos do que amigos psicólogos. Meu meio social sempre foi o da música”.

LUIZ Antonio Guimarães Cancello nasceu em Santos, em 23 de novembro de 1945. É psicólogo clínico desde 1972, quando se formou em Psicologia na Pontifícia Universidade Católica de Campinas. É Mestre em Educação pela Universidade Católica de Santos, onde defendeu a dissertação “Informal, Nômade, Tradicional: a formação dos psicólogos psicoterapeutas em seus grupos de estudo”.

Cancello participou, ainda, de grupos de estudo sobre a obra de Carl Gustav Jung, com o psiquiatra Pethö Sandor, durante nove anos, de 1972 a 1981, e também sobre a obra de Wilheim Reich, com o psiquiatra José Angelo Gaiarsa, de 1973 a 1976. Professor de várias disciplinas na Universidade Católica de Santos, Cancello foi também psicólogo da Secretaria Municipal de Saúde de Santos, e participou da intervenção da Casa de Saúde Anchieta, onde trabalhou durante um ano, em 1988.

É orientador de grupos de estudos em Psicoterapia Fenomenológico Existencial, atividade didática exercida em consultório particular, desde 1983. Também é Membro do Concult – Conselho Municipal de Cultura da Cidade de Santos, eleito como segundo representante (substituto) dos artistas ligados ao livro e à Literatura, desde abril de 2017.

Cancello é autor de diversos contos e crônicas publicados em jornais e revistas, especialmente no jornal “A Tribuna”, de Santos, onde escreveu de 1992 até 2000. Escreveu os livros “O Fio das Palavras – um estudo de psicoterapia existencial” (Summus Editorial, 1991), “Dia-a-dia: fragmentos” (Massao Ohno Editor, 1995), “A Carne e o Sonho” (Bom Texto Editora, 2000), “Informal, Nômade, Tradicional – os psicólogos psicoterapeutas e seus grupos de estudos”, (Summus Editorial, 2007), “Dias de Cão”, Realejo Edições, 2007, e “Ah, o Amor!”, (Editora Penalux, 2017).

A entrevista completa de Luiz Cancello pode ser acessada no canal do Programa Memória-História Oral no Youtube, no link www.youtube.com/watch?v=emBKNgKZx8k

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br