Edição 298Novembro 2019
Segunda, 16 De Dezembro De 2019
Editorias

Publicado na Edição 298 Novembro 2019

Acervo FAMS

Arquitetura e arte

Eber de Gois: “O artista é uma antena do seu tempo”

Arquitetura e arte

Arquiteto, poeta e pintor, Eber de Gois gravou seu depoimento ao Programa Memória-História Oral em 12 de junho de 2019, no espaço que leva seu nome e que combina ateliê, estúdio, biblioteca e ambiente onde sua arte pode ser admirada, discutida e compartilhada. Em sua entrevista, de Gois nos conta do seu fascínio por desenhos desde a infância e sobre sua trajetória profissional e pessoal.

Eber de Gois nasceu em Santos, em 14 de agosto de 1948. Fascinado por desenhos e cores desde a infância, seu primeiro contato com a arte se deu por meio das revistas em quadrinhos: “Eu ficava contagiado pelo mundo das cores que preenchiam os desenhos nos gibis, diferentemente das demais crianças, que concentravam toda a atenção nas historinhas. Nessa época, percebi que havia nascido para desenhar”, relembra.

O primeiro emprego, desenvolvido em uma agência de publicidade, enriqueceu a bagagem gráfica do pintor. Outra experiência profissional importante foi ao ingressar numa empresa de economia mista em Santos, a Progresso e Desenvolvimento de Santos S.A. (Prodesan), que possuía gráfica: “Essa nova fase me proporcionou o envolvimento com outros setores, aprendendo e tomando conhecimento de outras técnicas: fotografia, escala de cores, off set, provas gráficas e impressão, na sua fase inicial até os produtos finais que eram basicamente tabloides, folhetos e folders”, descreve. Foi nessa mesma empresa que o artista teve contato com a Arquitetura.

Aos 29 anos concluiu o curso de Arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos (FAUS). Novas oportunidades surgiram e proporcionaram ao artista muita experiência e expansão de seu universo de amizades na área. Foi através do seu trabalho que surgiu o convite para trabalhar como arquiteto residente no Hotel Sheraton Mofarrej de São Paulo (atual Gran Meliá).

Após sete anos em São Paulo, o próximo passo para de Gois foi o Rio de Janeiro, a convite do arquiteto Sérgio Rodrigues, criador da OCA e da cadeira mole. Esse contato com o Rio de Janeiro durou um ano. Esses oito anos passados longe de Santos, sua cidade natal, foram extremamente importantes para seu enriquecimento profissional e pessoal. Paralelamente ao seu trabalho na arquitetura, ele nunca se desvencilhou das artes plásticas, dedicando-se à pintura nas horas vagas.

Em seguida, Eber de Gois retorna à Prodesan, agora como arquiteto, e a partir daí começa uma nova fase na sua vida, sentindo-se seguro para investir na pintura: “Era o momento de investir em mim mesmo, estava seguro e confiante. Eu sabia que muitos artistas quando se davam conta da riqueza de suas bagagens culturais não hesitavam investir mais intensamente na sua arte, e eu me incluía nesse cenário”.

De Gois já tem espaço conquistado pela sua obra, mas diz: “O artista tem uma inquietação natural que não acaba nunca. Pesquisar, buscar novas técnicas, fazer novos experimentos é imprescindível. O artista é uma antena do seu tempo. A realização está na satisfação de ver seu trabalho apreciado. Pretendo continuar inovando, investindo na criação de arte objeto e escultura”.

A entrevista completa de Eber de Gois pode ser acessada no canal oficial do Programa Memória-História Oral no Youtube, em www.youtube.com/c/programamemoriahistoriaoral, e visitas ao Espaço Eber de Gois, que fica no bairro do Gonzaga, em Santos, podem ser agendadas pelo telefone (13) 98119.3833.