Edição 271Agosto 2017
Quinta, 21 De Setembro De 2017
Editorias

Publicado na Edição 270 Julho 2017

Para fotografar melhor

Leandro Ayres

Imagem_pinturasDIARIAMENTE somos bombardeados com informações através das redes sociais, os ambientes virtuais que se desenvolveram baseados em imagens, especialmente através das fotos que seus perfilados publicam. A maior parte das pessoas está mais interessada em mostrar a comida que vai degustar do que descrever seu sabor, ou em tornar pública a cidade aonde aproveita as suas férias, do que, de fato, aproveitar aquele lugar.

Não quero entrar no mérito moral deste comportamento, mas entendê-lo como uma forma de comunicação. Aliás, este tipo de comunicação por meio de imagens não começou agora, mas desde os primórdios do homo sapiens sobre a Terra, com a sua revolução cognitiva. Para ilustrar, cito as pinturas rupestres. Pesquisadores perceberam que mãos estampadas e pinturas de animais em uma caverna na Indonésia, as quais se acreditavam terem 10.000 anos de idade, foram feitas na verdade há 35.000 e 40.000 anos. As descobertas sugerem que os seres humanos na Ásia estavam produzindo arte simbólica tão antigamente quanto os primeiros pintores rupestres europeus…

Milhares de anos se passaram até chegarmos na linguagem que hoje usamos, muito mais complexa, acompanhando a evolução humana. A mesma lógica imagética se aplica à nova plataforma. Hoje tudo é fotografado e postado, estamos nos comunicando, mas de forma primitiva. Então já que é para nos comunicarmos, vamos fazer isso direito, com conteúdo, forma e estética para seguir evoluindo. Listo cinco dicas para fotografar melhor:

1) Antes de fotografar, reflita: preciso mesmo tirar esta foto? Para que ela serve? Isto não é à toa. Na fotografia analógica, usando filme, o fotógrafo era obrigado a pensar se o objeto da sua foto valia o seu custo e tempo. A fotografia digital praticamente extinguiu esta prática e o resultado são milhares de fotos mal feitas nas redes sociais.

2) Exercite a sua criatividade. É aqui que entra o seu conhecimento, cultura e experiências. Desconstrua o seu olhar! Há sempre outra maneira de mostrar aquele objeto, aquela cena ou aquele sentimento. Muitas vezes é só uma questão de mudar o seu ângulo de visão. E quem sabe o seu ponto de vista.

3) Preste atenção ao fundo! Compor uma imagem é analisar não só o objeto da fotografia, mas tudo o que está ao seu redor. Você não vai querer que aquele casal de cães no cio ao fundo roube a atenção da foto da sua namorada, ou que aqueles galhos de uma árvore próxima pareçam chifres saindo do topo da cabeça do seu marido. O fundo deverá compor de forma harmoniosa, sendo o palco, mas nunca o protagonista da imagem.

4) Desenvolva um olhar fotográfico mesmo quando não estiver fotografando. Esta deverá ser uma prática diária. Não basta ver, é preciso observar! O olhar contemplativo é o olhar de quem percebe o milagre da vida. Há muitos detalhes que podem ser observados em uma caminhada até a padaria mais próxima. A vida explode em cada canto! Uma vez imerso neste espírito, suas fotografias passam a ter sensibilidade.

5)  Conheça e domine o seu equipamento. Só assim você poderá explorar todos os recursos. Você percebe uma cena linda e clica, mas a foto ficou escura. No instante seguinte a cena se foi. E sua foto também.