Edição 284Setembro 2018
Quinta, 18 De Outubro De 2018
Editorias

Publicado na Edição 282 Julho 2018

Leandro Ayres

O produto como vedete!

Fotografia still life: da publicidade às vendas on line

O produto como vedete!

Leandro Ayres

QUANDO uma revendedora de cosméticos bate à porta de uma cliente e lhe entrega um catálogo, ali estão dezenas de fotos de perfumes, xampus, batons e toda sorte de produtos de beleza que devem reluzir aos olhos das consumidoras. Esta é a função dos fotógrafos de still life: mostrar a funcionalidade do produto e torná-lo atraente.

Fotografar produtos pode, a princípio, parecer fácil. Mas, na verdade, é um dos ramos mais técnicos e que demanda mais conhecimento do profissional. Produtos com superfícies reflexivas são um tormento, pois um descuido e lá estará o fotógrafo refletido. Imagina o trabalho que dá fotografar um carro que, além de altamente reflexivo, é grande! Fotografar um produto escuro em fundo preto pede atenção especial para que as suas bordas não se percam. E como dar volume a um produto sem curvas? Luzes e sombras no ponto certo.

A fotografia gourmet também entra neste espectro. Sabe aquele Big Mac que você vê na revista? Para se ter uma ideia da complexidade que foi até chegar na foto pronta, cada um daqueles gergelins são colocados no pão usando pinça para uma distribuição uniforme. Em alguns casos são usados mockups, que nada mais são do que produtos simulados, ou maquetes, feitos de outro material. Estes “dublês” são comumente usados para fotografar sorvetes, por exemplo, já que o produto real derrete em pouco tempo quando fora de refrigeração. Na verdade, um bom fotógrafo de still life deverá conhecer todos os truques para tornar o produto mais atraente e isso um curso básico não oferece. É preciso um curso específico, equipamentos próprios, luz adequada e horas intermináveis de pós-produção em programas de edição, como o Photoshop, em nível avançado.

As agências de publicidade são as maiores consumidoras deste tipo de serviço, já que precisam de matéria prima para montar as campanhas de seus clientes, e neste âmbito desfilam as grandes marcas e seus produtos. Com o recente boom das vendas on line, a demanda por uma boa fotografia de produto também aumentou significativamente, já que quase todo mundo recorre à internet para vender ou comprar algo que precisa. Uma boa foto daquela sua guitarra, encostada há anos no canto da sala, tem mais visualizações no Mercado Livre e, por consequência, mais chances de ser vendida rapidamente, do que a foto da outra guitarra anunciada que pode até estar em melhores condições de conservação. Mas não é o que parece.

Em suma, para as “cybervendas”, mais vale um feio bem arrumadinho do que um bonito desleixado.

SERVIÇO – Studio Photo Café / Museu do Café. Rua XV de Novembro, 95, Centro Histórico de Santos. De terça-feira a sábado, das 9 às 18 horas, e domingo, das 10 às 18 horas. (13) 3213.1750.