Edição 284Setembro 2018
Quarta, 17 De Outubro De 2018
Editorias

Publicado na Edição 284 Setembro 2018

Bonde da história

Nelson Tucci

O Jornal Perspectiva tem 34 anos de vida e acompanhou todas as eleições presidenciais pós-ditadura militar, o que lhe autoriza a avaliar, no atual quadro de candidatos, a inexistência de um que seja eficiente para enfrentar todos os problemas do Brasil, ou tão confiável a ponto de não promover alianças (?) com os diversos partidos existentes, ou, ainda, que tenha o condão de resolver o déficit fiscal, a corrupção, a falta de segurança, de educação, de saúde, enfim, seja capaz de amenizar a miséria do povo. Mais respeito com a nossa inteligência, srs. e sras. O país vive uma crise monumental de credibilidade política e as bravatas nada ajudam; tampouco, o cafezinho morno e aguado, quando precisamos é de ação, lucidez, honradez e firmeza. O eleitor comum pode ser levado por emoções na campanha, mas nós temos a obrigação de jogar luz nesta discussão. Seja quem for o (a) presidente, não é mais possível brincar. É preciso gerar empregos, retomar a economia com vigor e colocar nos trilhos o que está destrambelhado. E isto só será possível com uma agenda de reformas e um grande Pacto Nacional – assim mesmo, em maiúsculas! O orçamento está comprometido, desde já, com gastos “obrigatórios” e imorais, que hão de ser revistos para 2020. Qualquer tentativa de “chacoalhar a roseira” passará, obrigatoriamente, por negociações com o Congresso. Assim, tão importante quanto escolher um bom presidente, é fundamental compor uma Câmara Federal muito, mas muito melhor que a atual; mais arejada, renovada, e mais digna de receber o nome de “Casa do Povo”. E da mesma forma, eleger senador e governador, no mínimo, ficha limpa. Não se trata de sorte ou azar. Ou o eleitor assume seu protagonismo ou, mais uma vez, perder-se-á o bonde da história.