Edição 296Setembro 2019
Domingo, 15 De Setembro De 2019
Editorias

Publicado na Edição 296 Setembro 2019

Divulgação

Túnel já! Pela mobilidade urbana

Beschizza: “Vantagens que a ligação traria para Santos e Baixada Santista como um todo”

Túnel já! Pela mobilidade urbana

Ricardo Beschizza

Pelo título, muitos podem tirar antecipadamente a conclusão que vamos falar da ligação seca entre Santos e Guarujá. Até vamos! Contudo, não é bem desse túnel que gostaríamos de discorrer primeiramente.

Fazendo uma regressão ao lançamento do PAC Mobilidade, em 2014, nós, santistas, tomamos conhecimento do projeto de ligação entre as Zonas Leste e Noroeste de Santos. Infelizmente, por todos os escândalos que se sucederam no governo federal e que são de domínio público, mais uma grande obra (assim como outras tantas!) que seria feita em nossa cidade ganhou lugar em alguma gaveta.

Não é preciso ter grandes dons de futurologia para imaginar as vantagens que a ligação traria para Santos e Baixada Santista como um todo. O túnel aproximaria mais os bairros e traria um fôlego ainda maior de desenvolvimento para a Zona Noroeste, especialmente com a expansão comercial e habitacional.

Além disso, o novo acesso, contribuiria – e muito – para a mobilidade urbana, ajudando a desafogar as três ligações hoje existentes entre Santos e São Vicente: orla da praia, morros e centro, oferecendo também mais uma via àqueles que vêm de Cubatão, Praia Grande e demais municípios do litoral Sul.

Agregando-se ao viário a ponte que ligará o Sistema Anchieta-Imigrantes, ao final da Avenida Jovino de Melo, pelo acesso a ser construído no Bairro do São Manuel, teríamos mais uma opção para desafogar a entrada do Centro de Santos. Com o novo caminho, via Zona Noroeste e túnel, os motoristas conseguiriam chegar à Zona Leste pelo Bairro Marapé.

Reforçando a importância da mobilidade urbana e as ligações entre as cidades da região, conforme já pontuamos anteriormente, somos favoráveis à construção da ponte e do túnel entre Santos e Guarujá, bem como a integração entre o VLT e o BRT unindo os sistemas de Praia Grande a São Vicente e, por conseguinte, a Santos e – quem sabe um dia – com o prolongamento do VLT até Guarujá.

A mobilidade urbana entre os municípios da Baixada, por fim, talvez seja o elo que falta para realmente termos uma região que una todas as cidades em prol de objetivos comuns.

Ricardo Beschizza é engenheiro civil, presidente da Associação dos Empresários da Construção Civil da Baixada Santista (Assecob).