Edição 280Maio 2018
Sexta, 22 De Junho De 2018
Editorias

Publicado na Edição 242 Março 2015

Prédios públicos terão captação de água de chuva

Todos os projetos de construção de edificações públicas municipais em Santos, elaborados pela Administração ou mediante contratação, deverão contemplar sistemas de aproveitamento de águas de chuva. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Luciano Souza, a água de chuva a ser captada e armazenada nas novas edificações será destinada a fins não potáveis, tais como irrigação paisagística, combate ao fogo, descarga de vasos sanitários, sistemas de ar-condicionado, lavagem de pisos, calçadas, pátios, ruas, veículos, mobiliário urbano e equipamentos públicos. Hoje, a maioria desses serviços utiliza água potável fornecida pela Sabesp. “Ao aproveitar a água de chuva, a Prefeitura estará dando exemplos de desenvolvimento sustentável, contribuindo para preservar esse que é um recurso fundamental para toda a sociedade”, afirma Souza.

Em relação ao setor privado, a Prefeitura preparou mudanças na Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS), hoje em análise no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano (CMDU). O objetivo, segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano, Nelson Gonçalves, é aumentar os incentivos para aqueles que adotarem projetos de edifícios inteligentes que contemplem obrigatoriamente a captação e o reuso de água de chuva: “Hoje, quem se propõe a construir edifícios inteligentes já ganha a possibilidade de aumentar a área a ser ocupada pelo imóvel no terreno. Nossa intenção é aprimorar esses incentivos”. Uma vez aprovada no CMDU, a mudança na lei será enviada para análise da Câmara.

Responder