Edição 309Outubro 2020
Terça, 27 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 303 Abril 2020

Divulgação

Vitamina D. O que você precisa saber

É importante manter níveis adequados nesse momento

Vitamina D. O que você precisa saber

Vários estudos pelo mundo têm mostrado o papel fundamental da vitamina D na modulação da imunidade inata, sendo capaz de atacar agentes agressores de forma a impedir seu avanço e multiplicação dentro do organismo. O nutrólogo e oftalmologista Renato Leça, esclareceu dúvidas sobre o assunto.

Para que serve. A vitamina D é um micronutriente que, entre outras funções no corpo, atua no funcionamento do sistema imunológico, auxilia na absorção de cálcio e tem papel importante no equilíbrio do açúcar no sangue.

Eu preciso tomar vitamina D? Estudos mostram que 77% da população brasileira têm vitamina D abaixo de 20ng/ml, considerado insuficiente. E níveis adequados de vitamina D são muito importantes para a manutenção da saúde. A dose ideal para cada paciente varia de acordo com seu perfil.

Grupo de risco. Vivemos uma reconhecida pandemia de hipovitaminose D, então temos que nos atentar a isso mas especialmente idosos, gestantes, lactantes, pacientes bariátricos ou com raquitismo, osteomalácia, hiperparatireoidismo, doenças inflamatórias, doenças imunes, doença renal crônica, entre outras situações que merecem maior atenção aos níveis sanguíneos dessa vitamina no organismo.

Obtendo bons níveis. Para que a formação da vitamina D no organismo seja adequada, é necessária a exposição solar de, no mínimo, 15 minutos diários, de preferência entre 10 e 14 horas, momento de maior presença dos raios UV, responsáveis por ativar o metabolismo de formação da vitamina D a partir da pele, com pelo menos os braços descobertos – quanto maior a área de exposição do corpo à luz solar melhor –, sem o uso de protetor solar.

Existem suplementos. Para aqueles casos em que a combinação de exposição solar e alimentação não é suficiente, é possível fazer uso de suplementos de vitamina D – a partir da recomendação médica –, a fim de fazer uma reposição ou até mesmo a manutenção dos índices ótimos da vitamina no organismo.

Deficiência. A falta dela pode aumentar o risco de problemas cardíacos, osteoporose, alguns tipos de câncer, gripes e resfriados, e doenças autoimunes como esclerose múltipla e diabetes. Em mulheres grávidas deficiência de vitamina D pode aumentar o risco de parto prematuro e favorecer a pré-eclâmpsia.

Vitamina D e a pandemia. Estudo italiano recente, realizado por cientistas da Universidade de Turim, aponta que os pacientes que foram infectados pela Covid-19 apresentam baixos níveis de vitamina D. Como a vitamina D tem ação imunomoduladora comprovada cientificamente é importante manter seus níveis adequados nesse momento.

Responder