Edição 273Outubro 2017
Sábado, 18 De Novembro De 2017
Editorias

Publicado na Edição 259 Agosto 2016

Divulgação

Tecnologias aplicadas ao paisagismo

Recanto das crianças: aconchego e aventura 

Tecnologias aplicadas ao paisagismo

Com o tema “Cultivar deCoração”, a 35ª Expoflora acontece até 25 de setembro, em Holambra, no interior do estado de São Paulo. A antiga colônia holandesa, conhecida como Cidade das Flores, está localizada a 140 km da capital paulista, com acesso pela rodovia Campinas- Mogi Mirim (SP 340), saída 140.

O desafio dos profissionais do setor foi criar projetos paisagísticos e de decoração que contemplem sugestões simples para o uso de flores e plantas ornamentais adequadas a cada ambiente, deixando a casa mais confortável, alegre e bonita.

Com coordenação da arquiteta Karina Taccola, a mostra foi dividida em 19 ambientes internos e externos: Jardim/Hall/Varanda, Homeoffice, Academia, Criança, Oratório, Sala de banho, Loft/Apartamento, Casal, Jardim de inverno, Living, Pátio interno, Cozinha, Sala de jantar, Gourmet e opções de quintal.

Uma das novidades é o aplicativo MeuJardim, que ajuda as pessoas a cuidarem de seus jardins de forma gratuita e sem complicações. Basta que o usuário crie um ou mais jardins e adicione as espécies plantadas para que o aplicativo o auxilie no cuidado e manuseio de cada uma delas. A ferramenta notifica sobre o momento ideal para adubar as plantas e utilizar os produtos indicados para cada situação.

Entre os ambientes, o Loft foi idealizado pelas designers de interiores Marina Machado e Allan Oliveira. Elas apresentam uma proposta inusitada: lago com cascata de bambu, peixes e plantas aquáticas no quarto, flores e plantas cultivadas in vitro que não necessitam de nenhuma manutenção na sala e horta com Panc’s (plantas comestíveis não convencionais) na cozinha.

Sem contar a tecnologia que permite a flutuação de um vasos, e o uso de papéis de parede em 3D. O espaço alia a inovação à sustentabilidade e criatividade.

Os profissionais trazem natureza para dentro de casa, de forma tecnológica e com baixo custo. Hoje é possível permitir que o frescor das plantas e flores esteja próximo até mesmo de quem nem sempre tem tempo até para regá-las.

A cozinha, sala e quarto são conjugados. Apenas a privacidade do dormitório é garantida pelos mourões de eucalipto espaçados e adornados por trepadeiras de maracujá. Todo o teto é delineado por samambaias.

No quarto está a grande surpresa. Aos pés da cama do casal foi instalado um lago com direito a uma mini cascata de bambu, carpas coloridas e plantas aquáticas. Os papéis de parede 3D simplesmente trouxeram uma floresta para o dormitório. O avencão decora a parede da cascata. A composição com mudas de mangueira, abacaxi ornamental, babosa, bromélias, antúrios e orquídeas propõe um jogo inusitado para o entorno do lago. É cinematográfico.

Na sala, o lustre principal formado por duas bacias opostas, uma para as lâmpadas e, outra, para as orquídeas, cumprindo dupla funcionalidade. Vale observar, na parede, os quatro balanços de corda cujas tabuas do assento servem como prateleiras para o VitaWall (mudas de plantas cultivadas in vitro), muito decorativas e apropriadas para quem não tem tempo para cuidá-las. Trata-se de um objeto de decoração que alia o sistema de multiplicação de plantas a um design super atual. Na prática, o sistema é semelhante ao de um terrário, só que o processo é feito em laboratório. Assim as mudas plantadas no gel de agar-agar (composição a base algas) se desenvolvem num ambiente fechado, sem a necessidade de água e de exposição ao Sol. Ali estão espadas de São Jorge, orquídeas ludísia, avencão e bambu. É a tecnologia aliada ao paisagismo de interiores. Emoldurando a grande novidade do ambiente estão dispostas balanças com vasos criativos de armação em metal e vidro.

Na cozinha, a novidade são os vasos em diversos tamanhos com plantas medicinais de cultivo orgânico e Panc’s, plantas alimentícias não convencionais. Entre elas, a nutritiva ora-pro-nóbis, sálvia, erva-doce, pariri, guaco, capim-limão, bálsamo, alecrim, cânfora, arruda, poejo, camomila, hortelã, menta e arruda.

De forma informativa e ornamental, os profissionais procuram valorizar e incentivar uma alimentação mais saudável e orgânica. Encontramos na cozinha também um grande quadro negro, tendência que veio para ficar, prático para anotar receitas e deixar recados. A tecnologia do trem bala – suspensão por um jogo de eletroímãs – permite que atillandsia (variedade de bromélia) flutue sobre a bancada.

Outro ambiente de destaque é o recanto das crianças, criado pela design Estela Galleti, que pode trazer, ao mesmo tempo, aconchego e aventura. A mobília, de designer europeu, feita artesanalmente em Pinus Elioti pelo Ateliê Angelin é inspirada nas abordagens Waldorf e Pikler e pedagogia Montessori. As medidas são específicas para bebês e crianças de 0 a 4 anos, e permitem que eles se movimentem com autonomia e segurança e desenvolvam noções sobre equilíbrio e força. No espaço interativo, floristas realizarão oficinas de arranjos florais para as crianças às sextas-feiras, às 10 e às 14 horas.

Arq_Expo_loft

Loft: proposta inusitada, pelas designers de interiores Marina Machado e Allan Oliveira