Edição 298Novembro 2019
Sábado, 14 De Dezembro De 2019
Editorias

Publicado na Edição 293 Junho 2019

Luiz Carlos Ferraz

Bom senso na defesa da vida animal

Bom senso na defesa da vida animal

Água poluída pode sim causar doenças nos animais

PIONEIRO da defesa da vida animal, na qual milita desde os anos 80 doando animais carentes em sua clínica, o médico-veterinário Eduardo Ribeiro Filetti, pós-graduado em Saúde Pública e professor universitário, é entusiasta desse movimento. Ele pondera, contudo, que é preciso ter bom senso, e afirma que não é favorável ao Projeto de Lei Complementar nº 14/2019, do vereador Benedito Furtado (que considera um entusiasta da causa que merece respeito), que proíbe a concessão e a renovação de alvará de licença, localização e funcionamento de canis, gatis e estabelecimentos comerciais de animais domésticos. “Já aviso que não sou dono de estabelecimentos desse tipo”, afirma Filetti: “Porém, penso que a questão é outra. Nem todo canil ou gatil maltrata animais, assim como nem todo político é ladrão. A exceção não pode ditar a regra. É uma atividade importante, que gera receitas e que permite a famílias e crianças a terem os animais das raças que desejam, sem maltratar nenhum deles. Temos que lutar por fiscalização nesses estabelecimentos e não a finalização deles”.

Filetti também é contrário à campanha “Vai ter Cachorro na Praia em Santos”. A proibição é prevista em lei e visa evitar a contaminação por bicho geográfico e doenças como a toxoplasmose, alerta o veterinário: “A balneabilidade das praias santistas não é a ideal há anos. Essa água poluída pode sim causar doenças nos animais. Se entrar no mar, e a água entrar no ouvido, os bichos podem ter infecções nas orelhas por causa de fungos e bactérias, algo semelhante a otite dos humanos. Outro ponto são os olhos. Os animais são suscetíveis a conjuntivites em virtude dos raios solares e da areia, ficando com vermelhidão nos olhos, lágrimas e com os olhos coçando”.


É CADA vez mais comum ver receitas caseiras sendo divulgados para tratar as mais diversas doenças em animais. No entanto, sempre que se deparar com uma formulação dessas, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) recomenda a consulta a um médico-veterinário para evitar submeter o animal a um tratamento que pode comprometer ainda mais a saúde dele. O médico-veterinário e assessor técnico do CFMV, Fernando Zacchi, afirma: “Métodos não atestados pela ciência e sem conhecimento dos efeitos colaterais e das reações adversas podem colocar a saúde de todos em risco, podendo agravar o quadro clínico do animal, bem como comprometer a saúde do homem e ainda afetar o meio ambiente”.


EM Santos e cidade do litoral, os pets não tem o reclamar pois são muitas as opções de passeio, a melhor delas os jardins da orla da praia. Na capital paulista, contudo, para facilitar os donos e seus amiguinhos, o aplicativo DogHero selecionou alguns lugares ótimos para exercitar o filhote peludo. Praça Buenos Aires, no bairro de Higienópolis, região Oeste. Parque Villa-Lobos, no Alto de Pinheiros, zona Oeste. Parque do Ibirapuera, na zona Sul. Parque Trianon, em frente ao MASP, bem no meio da Avenida Paulista. Avenida Paulista aos domingos e feriados, quando é fechada ao tráfego de veículos das 10 às 18 horas. Pet park do Mooca Plaza Shopping, na zona Leste da cidade.