Edição 308Setembro 2020
Segunda, 26 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado em 22/12/2015 - 8:45 am em | 0 comentários

Divulgação

Santos lança campanhas contra esmola e trabalho infantil

Esmola não ajuda: Prefeitura oferece rede de serviços voltada ao morador em situação de rua

Santos lança campanhas contra esmola e trabalho infantil

A Prefeitura de Santos lançou campanhas contra a doação de esmolas para a população em situação de rua e contra o trabalho infantil. As campanhas têm apoio do Clube de Dirigentes Lojistas (CDL) Santos-Praia e incluem anúncios em rádio e jornais, faixas, cartazes e panfletos. A ideia é mostrar que o santista deseja contribuir, só que o dinheiro doado não ajuda a pessoa a sair da calçada. Ao contrário, como consegue dinheiro e comida, essa facilidade faz com que a pessoa em situação de rua permaneça no mesmo lugar porque encontra condições de sobrevivência.

O ouvidor Flávio Jordão foi procurado mês passado pelos comerciantes e promoveu uma reunião entre representantes dos lojistas e das secretarias de Assistência Social e a de Comunicação e Resultados. Na ocasião ficou decidido que a campanha seria a melhor maneira de enfrentar a situação.

O presidente do CDL, Nicolau Obeidi, considerou fundamental a conscientização: “A população precisa entender que a esmola não ajuda. Tem algumas pessoas que estão na rua e viraram pedintes profissionais. Sei disso porque eles trocam as moedas no comércio e alguns faturam mais de R$ 100,00 por dia”.

Alguns dados:

. A Secretaria Municipal de Assistência Social oferece uma rede de serviços voltados a esse público, como prevê a política nacional para a população em situação de rua, a começar pela equipe de abordagem de rua que procura inseri-los nos serviços públicos.

. Santos possui o Centro Pop, na Rua Conselheiro Saraiva, 13, onde eles podem tomar banho, guardar algum pertence, participar de atividades e solicitar abrigamento.

. Santos tem 204 vagas de acolhimento, é a maior oferta de leitos da região, onde as outras oito cidades juntas somam 209 vagas.

. Quem consegue deixar o uso de álcool e outras drogas é encaminhado para cursos de qualificação para o mundo do trabalho da Vila Criativa Mercado.

. Quem conclui o curso vai para o Fênix, que tenta inseri-los no mundo do trabalho para conseguirem renda e sair definitivamente das ruas e dos abrigos.

As cinco unidades do Núcleo de Apoio Psicossocial (Naps), da Secretaria de Saúde, são portas abertas a qualquer munícipe que apresente doença psiquiátrica. Não é necessário agendamento. Dificilmente as pessoas em situação de rua procuram o serviço por livre vontade. O comum é serem sensibilizados pela equipe do Consultório na Rua que os leva ao serviço desde que haja concordância.

Responder