Edição 296Setembro 2019
Sexta, 18 De Outubro De 2019
Editorias

Publicado em 11/06/2019 - 8:00 am em | 0 comentários

Reprodução

Festival de Inverno de Campos do Jordão marca nova fase

Programação dos 50 anos terá ícones da música clássica e artistas populares

Festival de Inverno de Campos do Jordão marca nova fase

Detalhes da quinquagésima edição do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, de 29 de junho a 28 de julho, foram anunciados pelo governador João Doria e o secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão. Desde 1970, o festival cresce em maturidade e experiência e incorpora um espírito de renovação. As novidades incluem uma programação ampliada, com número recorde de apresentações e de público, atividades para todas as faixas etárias, atrações inovadoras e maior visibilidade dentro e fora da cidade.

“O público vai ver uma grande integração da música erudita com a música contemporânea”, destacou o governador: “Além disso, este será o Festival com a maior participação de investimento privado em 50 anos, o que significa que reduzimos o investimento público e aumentamos o investimento privado, proporcionalmente. E é o Festival com o maior orçamento definido para música, conservatório, estrutura, logística e operação nestes 50 anos”.

Leitão acrescentou:“Estamos falando de um novo Festival de Inverno de Campos do Jordão. Inteiramente renovado, com uma estrutura grande e um número recorde de locais e apresentações. Trata-se de um novo conceito e uma nova experiência para o público. Estamos prevendo mais de 150 apresentações e público recorde de mais de 100 mil pessoas”.

O ano de 2019 vai marcar o início de uma nova fase com o objetivo central de elevar o impacto positivo sobre a formação de plateia para a música clássica, o turismo e a geração de emprego e renda. Será feito pela FGV um estudo de impacto econômico, para mensurar a contribuição do evento para a geração de renda, emprego e desenvolvimento.

“O festival tem como foco a formação de plateia e de jovens músicos para a música clássica. Ao mesmo tempo, visa fomentar o turismo em Campos do Jordão e toda a região, gerando emprego e renda. Devido a este potencial, tomamos a decisão de contratar a FGV para realizar o primeiro estudo de impacto econômico do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Os números do estudo serão anunciados em agosto, e faremos um seminário para discuti-los. Certamente, teremos um importante case de impacto econômico de uma atividade de economia criativa, comprovando que o setor promove o desenvolvimento”, disse o secretário.

O prefeito de Campos do Jordão Frederico Guidoni destacou a relevância do evento para o município: “É uma importante parceria que o Governo do Estado faz com a nossa cidade. O Festival de Inverno mudou a história de Campos do Jordão nos últimos 50 anos. Entramos em um ciclo de desenvolvimento socioeconômico através do investimento no turismo e da cultura. Agora, com a inovação e a modernidade, mudaremos novamente a história do Festival de Inverno, gerando emprego e renda e melhorando a qualidade do turismo da nossa região”.

Cinco personalidades que marcaram a história do Festival serão homenageadas na abertura: o maestro Eleazar de Carvalho, um dos criadores; o maestro e pianista João Carlos Martins, que realizou as primeiras apresentações de música clássica em Campos do Jordão, no Hotel Toriba; Roberto Minczuk, diretor artístico de 2004 a 2010; Fabio Mechetti, regente titular e diretor artístico da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que foi regente assistente de Eleazar de Carvalho; e o violonista Fabio Zanon, um dos principais concertistas da atualidade e coordenador artístico-pedagógico do Festival desde 2013.

Como novidade, o 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão terá dois eixos: Clássico e Popular-Sinfônico. O programa clássico tem a curadoria da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. O programa de concertos na linha popular-sinfônico tem a curadoria da Orquestra Jazz Sinfônica, que assim como a Osesp é um corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. Esta linha reúne concertos com renomados artistas da música popular, trilhas de filmes e games e apresentações didáticas.

A série de concertos gratuitos da Orquestra Jazz Sinfônica une a música orquestral ao repertório popular em interação com os artistas Mônica Salmaso e Nelson Ayres (29/06, 16h30); Carlinhos Brown (30/06, 11h30); Fafá de Belém (06/07, 16h30); Spok (07/07, 11h); Toquinho (13/07, 16h30); Lenine (20/07, 16h30); e Diogo Nogueira, com a Sinfonieta da Jazz (27/07, 16h30). A Jazz Sinfônica apresentará ainda um programa com o compositor Francis Hime, tendo as participações da harpista Liuba Klevtsova e da cantora Olivia Hime como solistas (21/07, 16h30).

“A arte é muito valiosa e hoje está sendo reconhecida como tal. A música brasileira tem feito muito sucesso, sendo levada para a China, Japão, Europa, Estados Unidos. Nada mais justo do que mostrarmos que popular também é clássico. Participar do Festival de forma tão relevante é uma grande oportunidade para a Jazz Sinfônica; é um grande presente, uma consolidação de 29 anos de um bom trabalho”, afirmou o diretor artístico da Orquestra Jazz Sinfônica Brasil, Antônio Ribeiro.

A Osesp, comandada por sua diretora musical e regente titular Marin Alsop, fará, entre outros, o concerto de abertura do Festival, tendo como solista o barítono brasileiro Paulo Szot, vencedor do Tony Award 2008 de melhor ator pelo musical South Pacific (29/06, 20h30).

Entre os artistas convidados, destaque para o barítono Paulo Szot, os pianistas Nelson Freire, Arnaldo Cohen e Jean-Louis Steuerman, e os regentes Alexander Liebreich, Giancarlo Guerrero e Neil Thomson. Na música sinfônica, participam a Osesp, a Filarmônica de Goiás e a Orquestra Sinfônica do Paraná, entre outras orquestras convidadas.

“Acho formidável que estejamos pensando, em primeiro lugar, em cultura, em uma época em que o mundo passa por revoluções. Fico muito feliz que a Cultura esteja em um lugar de destaque dentro desse contexto. Acho muito boa essa ideia de miscigenação entre formas de música. É uma confraternização de diversos estilos, músicos, professores e orquestras; um encontro entre pessoas de todas as áreas”, declarou o pianista Arnaldo Cohen.

Nelson Freire, que celebra 70 anos de carreira, fará dois recitais. Arnaldo Cohen será o solista de dois concertos da Camerata do Festival; e Jean Louis-Steuerman, o solista em dois concertos da Orquestra do Festival.

A Filarmônica de Goiás fará três concertos, sob a regência de Neil Thomson, o primeiro com a participação do clarinetista britânico Michael Collins como solista. Outros destaques são a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, sob regência de Roberto Minczuk, com o oboísta Arcádio Minczuk como solista; a Orquestra Sinfônica do Paraná, sob a regência de Stefan Geiger, com a jovem violinista italiana Francesca Dego como solista; a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, sob a regência de Cláudio Cruz, tendo como solista a pianista ucraniana Anna Fedorova; e a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, sob a regência de Victor Hugo Toro, tendo o violoncelista sérvio Viktor Uzur como solista.

Na música coral, apresentam-se o Coro da Osesp, regido por Valentina Peleggi, além do Coral Paulistano, sob a regência de Naomi Munakata, e o Coro Sinfônico de Goiânia, comandado por Katarine Araújo, entre outras atrações.

A programação completa do Festival está disponível no site www.festivaldeinverno.sp.gov.br Haverá apresentações gratuitas (80%) e pagas. Os ingressos serão vendidos pela internet (site acima) e em pontos de venda em Campos do Jordão.

O viés pedagógico do Festival reunirá 199 jovens instrumentistas, vindos de diversas partes do Brasil e do mundo, para participar de uma intensa convivência com os professores e artistas da programação como bolsistas, além de interpretarem obras importantes do repertório de concerto e aperfeiçoarem-se com excelência em seu ofício. O aluno que mais se destacar receberá o Prêmio Eleazar de Carvalho, uma bolsa de US$ 1,4 mil mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira à escolha.

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 199 bolsistas. Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. Os concertos dos três grupos formados por eles – a Orquestra do Festival, a Camerata do Festival e o Grupo de Música Antiga do Festival – trarão repertórios desafiadores, além contar com a participação de regentes e solistas convidados à frente dos jovens instrumentistas.

“Estamos muito felizes com a expansão do Festival, preservando e ampliando as estruturas pedagógicas, que são a razão da existência do evento. Os alunos estão muito felizes, tivemos muitas inscrições e com certeza teremos uma grande Orquestra. A música clássica está preservada, e melhor que isso, ela está brilhando no Festival de Campos do Jordão”, exaltou Marcelo Lopes, diretor executivo da Osesp.

LOCAIS E HORÁRIOS

As apresentações acontecerão em locais icônicos de Campos do Jordão: o Palácio Boa Vista terá atrações aos sábados às 11h, 15h, 17h e 21h (“Late Nights” com experiências gastronômicas) e aos domingos às 11h e 15h; o Auditório Claudio Santoro, inaugurado há 40 anos, receberá as orquestras de quinta à domingo, às 20h30, e também às 16h30 aos domingos; o Espaço Cultural Dr. Além, uma das mais importantes instituições culturais do município, será palco de programações de segunda a sexta-feira, sempre às 18h; a Concha Acústica da Praça do Capivari terá apresentações aos sábados às 11h, 13h45 e 16h30 e aos domingos às 11h30, 13h30 e 15h30.

A Igreja de Santa Terezinha terá apresentações todas as sextas-feiras às 17h e o Hotel Toriba, que foi o primeiro espaço para apresentações de música clássica na cidade, receberá atrações de música de câmara, lírica, brasileira e jazz aos sábados, às 17h e 19h.

A Sala São Paulo, casa da Osesp, considerada uma das principais salas de concerto do mundo, será o palco do Festival na capital, com programação comemorativa dos seus 20 anos com a Oitava Sinfonia de Mahler, regida por Marin Alsop, com Paulo Szot e solistas convidados, os Coros da Osesp e corais convidados, e a Osusp (Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo), como orquestra convidada (04, 05 e 06/07). Na celebração do aniversário de 20 anos, no dia 09/07, haverá  dois concertos gratuitos, às 11h e às 16h30, com repertório escolhido pelo público pela Internet. As apresentações serão às quintas e sextas às 20h30, aos sábados às 16h30, e aos domingos às 11h.

A “Saideira” do Festival acontecerá na capital no dia 04/08, às 17h, no Auditório do Ibirapuera, com mais um programa popular-sinfônico da Orquestra Jazz Sinfônica e um convidado da música popular.

A TV Cultura vai transmitir ao vivo os concertos dos sábados às 16h30 (Praça do Capivari) e 20h30 (Auditório Claudio Santoro), e dos domingos às 11h30 (Praça do Capivari). A Rádio Cultura fará a cobertura completa do Festival, assim como o jornal Folha de S.Paulo, a TV Vanguarda, afiliada da Globo no Vale do Paraíba, e a BandNews TV.

A 50ª edição do Festival será totalmente realizada por meio de recursos de empresas privadas e estatais, através de investimento direto, da Lei de Incentivo à Cultura e do Programa de Ação Cultural – ProAC. Patrocinam o evento a Sabesp, a Pirelli, a Grupo 3corações e a Rede, além de uma empresa que será anunciada em breve.

“Um dos lemas da Sabesp é ajudar a transformar vidas. Apoiar o tradicional Festival de Inverno de Campos do Jordão em sua 50ª edição só contribui para esse propósito. É um evento que tem como foco a formação dos jovens músicos, o incremento do turismo e a geração de renda, e para a Sabesp é uma honra fazer parte desse momento tão importante para a Cultura e para a população”, comentou o presidente da Sabesp, Benedito Braga.

“É uma satisfação para nós contribuir com a cultura nas comunidades ao redor do mundo. Participar do Festival é seguir a tradição de ir além de fabricar pneus”, afirma Mário Batista, diretor de assuntos corporativos da Pirelli.

“É um prazer estarmos na  50ª edição do Festival, no ano em que ele é renovado e ampliado. O Grupo 3corações sempre esteve presente no inverno de Campos com suas ativações, mas este ano será especial. É uma alegria celebrar e contribuir com o fomento da cultura da comunidade promovendo novas experiências com cafés especiais”, afirmou o presidente do Grupo 3corações Pedro Lima.

Principal destino de inverno do Brasil, Campos do Jordão é o núcleo urbano mais alto do país, com 1.628 metros de altitude. Sua excelente infraestrutura de turismo e a paisagem emoldurada pelas montanhas da Serra da Mantiqueira, com arquitetura típica europeia, atraem 1,5 milhão de turistas nos meses de inverno, sendo 150 mil visitantes por fim de semana durante o Festival. A expectativa é que a nova concepção do festival aumente o fluxo de turistas na cidade e também o engajamento das programações oficiais.

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, um trabalho pedagógico amplo e qualificado a uma programação de música de concerto – em grande parte gratuita – ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

Fundada em 1954 e reconhecida internacionalmente por sua excelência, desde 2005 a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo é administrada pela Fundação Osesp. Em 2012, Marin Alsop tornou-se Regente Titular, e foi nomeada Diretora Musical em 2013. Em 2016, a Orquestra esteve nos principais festivais da Europa e, em 2019, realizou turnê pela China e Hong Kong. A Osesp participou de todos os Festivais de Inverno de Campos do Jordão, desde sua primeira edição.

Criada em 1989, a Orquestra Jazz Sinfônica Brasil realiza concertos com arranjos para alguns dos principais gêneros musicais e culturais do País – como samba, frevo, bossa-nova, MPB, samba-jazz, rock e reggae. Regida pelos maestros João Maurício Galindo e Fábio Prado, tem como intuito divulgar e perpetuar a música popular brasileira por meio de uma roupagem sinfônica. Com formação singular, a orquestra entrelaça os moldes eruditos a uma big band de jazz. Desde 2000, participa da programação de todos os Festivais de Inverno de Campos do Jordão.

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como “Amigos do Festival”.

A abertura para vendas de ingressos online e por telefone será a partir de sexta-feira, 14. Telefone (11) 3777.9721, de segunda a sexta, das 12h às 18h.

Além disso, os concertos gratuitos têm retirada de ingressos duas horas antes de cada concerto na bilheteria do local limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Os concertos pagos no Auditório Claudio Santoro (1.050 lugares) têm valores que variam entre R$ 50 a R$ 100 e estarão disponíveis nos pontos de venda do festival a partir de 21/06/19, diariamente das 10h às 18h. Os concertos pagos na São Paulo (1.484 lugares) têm valores que variam de R$ 30 a R$ 50 e estarão à venda na bilheteria do estacionamento duas horas e meia antes do início.

O 50º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínios master da Sabesp, Pirelli e Três Corações; apoio da Localiza e Fritz Dobbert; e promoção cultural da TV Vanguarda, Folha de São Paulo, Rádio e TV Cultura, Bandnews e 29 Horas.