Edição 310Novembro 2020
Quarta, 02 De Dezembro De 2020
Editorias

Publicado em 15/01/2016 - 10:15 am em | 0 comentários

Divulgação

Estudo aponta alta nos lançamentos e queda nas vendas de imóveis novos

Santos: acompanhando a tendência do mercado...

Estudo aponta alta nos lançamentos e queda nas vendas de imóveis novos

Os indicadores Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias)-Fipe referentes ao trimestre setembro-novembro revelam alta de 12,9% nos lançamentos em relação ao período anterior (junho-agosto) e redução de 14,5% comparando com o trimestre setembro-novembro de 2014, totalizando 16.825 unidades.

Entre setembro e novembro de 2015 foram vendidas 25.051 unidades, mostrando queda de 11,7% frente ao observado no trimestre terminado em agosto. Já na comparação com o mesmo período de 2014, a queda foi de 16,0%.

Segundo dados das incorporadoras participantes, as entregas de imóveis somaram 28.478 unidades, o que representa redução de 7,0% em relação às entregas do trimestre junho-julho-agosto, e queda de 42,3% frente ao total de unidades entregues no período de setembro a novembro de 2014.

De acordo com o vice-presidente executivo da Abrainc, Renato Ventura, o setor sente o reflexo da atual crise econômica no declínio de lançamentos na comparação com os anos anteriores: “Os níveis de confiança do comprador e do empresário são determinantes nas decisões de lançamentos das empresas. Com sua baixa, há uma retenção nos lançamentos e um impacto negativo na geração de empregos”.

Os dados do estudo mostram que, no período de um ano, entre setembro-novembro de 2014 e 2015, as vendas superaram os lançamentos em 48,9%. “Com isso, a oferta é reduzida e prepara o setor para um novo ciclo, quando as incertezas diminuírem”, ressalta Ventura.

Em sua oferta final, o mercado disponibilizou 103.259 unidades no trimestre setembro-novembro. Já a razão Vendas sobre Oferta (VSO) apresentou queda frente ao trimestre anterior (junho-agosto), atingindo a marca de 20,3% no trimestre setembro-novembro. Com isso, estima-se que oferta atual de imóveis se esgotaria em cerca de 14,3 meses, mantendo a mesma velocidade do trimestre findo em novembro.

Os indicadores Abrainc-Fipe são elaborados pela Fipe com informações de empresas Abrainc que atuam em todo o país. O estudo, lançado em agosto, vem sendo construído pela Fipe desde janeiro de 2014, é o primeiro conjunto de indicadores do setor imobiliário obtidos nacionalmente.

Para a composição dos Indicadores são consideradas informações sobre lançamentos, vendas, entregas, oferta final e inadimplência do mercado primário de imóveis residenciais e comerciais. Os números são referentes ao último trimestre consolidado (setembro-novembro) e são divulgados mensalmente.

Os dados que compõem os indicadores são fornecidos à Fipe mensalmente pelas empresas associadas à Abrainc. Após compilar os dados, é feita cuidadosa verificação para garantir a consistência das informações e, se for o caso, as empresas são contatadas para eventuais ajustes ou validação. Em seguida, com os dados validados, os indicadores Abrainc-Fipe são calculados e, posteriormente, disponibilizados.

A Abrainc foi constituída em 2013 com o objetivo de levar mais eficiência à gestão, qualificar e aprimorar o processo da incorporação imobiliária. Atualmente a Abrainc reúne 27 companhias de capital aberto e/ou com presença nacional. Seu objetivo é representar essas empresas, fortalecendo o setor e contribuindo para o desenvolvimento sustentável do país e de suas cidades. A associação atua em defesa da responsabilidade socioambiental, da ética, da integridade e das conformidades técnica, fiscal e urbanística.

Entre os principais temas em debate atualmente na associação estão as questões referentes aos processos de incorporação, ao impacto dos empreendimentos nas cidades, à burocracia nas diversas fases do negócio, à produtividade do setor e à ampliação do crédito e do financiamento.

Fazem parte da Abrainc as empresas Brookfield, Canopus, Cury, Cyrela, Direcional, Emccamp, Esser, Even, EZtec, Gafisa, Helbor, HM, JHSF, Moura Dubeux, MRV, Odebrecht Realizações, Patrimar, PDG, Plano & Plano, Rodobens, Rossi, Setin, Tecnisa, Tenda, Trisul, Viver e Yuny.

Responder