Edição 290Março 2019
Sexta, 19 De Abril De 2019
Editorias

Publicado em 8/01/2016 - 9:23 am em | 0 comentários

Atitudes para trabalhar e ganhar mais como freelancer

Com a instabilidade no mercado tradicional em função da crise econômica, cada vez mais profissionais têm optado por trabalhar como autônomos. Segundo pesquisa encomendada pela Prolancer, plataforma de ofertas de trabalhos temporários, o número de freelancers no Brasil aumentou 33% em 2015. A maioria desses profissionais está na faixa etária dos 22 aos 30 anos e trabalha com tecnologia ou produção de conteúdo.

Trabalhar como freelancer tem suas vantagens, como a flexibilidade de horários e a economia de trabalhar de casa. Mas é preciso muita disciplina para conseguir lucrar e manter as contas em dia quando se recebe por serviço prestado. A demanda de trabalho pode mudar todos os meses e o recebimento é instável.

Pensando nisso, uma das primeiras atitudes para quem quer trabalhar como freelancer, é mudar o velho hábito de planejar suas contas mensalmente e começar a pensar de forma mais expansiva, organizando tudo por semestre, ou por ano. Essa perspectiva ajuda a entender quanto é preciso ser guardado para assegurar os pagamentos das contas mensais e também a controlar os gastos com supérfluos. Quanto menos prestações você tiver, melhor.

Ao investir no trabalho como freelancer, é hora de pensar nas projeções futuras e, principalmente, como lucrar com este tipo de trabalho. Confira algumas dicas.

1. Não tenha medo de cobrar: contratar um profissional freelancer é benéfico para as empresas, que podem ter o serviço que precisam pelo período combinado sem ter que arcar com as despesas de um novo funcionário. Mas tome cuidado com aqueles contratantes que acreditam que o trabalho de freelancer é sempre mais barato ou fácil de pechinchar. Há uma abertura para negociações, mas nada de aceitar remuneração inferior ao seu trabalho. Valorize-se como profissional, não deixe que abusem da sua condição de autônoma.

2. Analise o seu tempo: Não é porque você não bate ponto que não deveria pensar no tempo hábil que cada tarefa irá lhe tomar. Esta questão inclusive deve contar na hora de falar de remuneração. Mais uma vez, não precisa ter medo de cobrar. Com certeza o contratante vai preferir que você se dedique mais para entregar o trabalho completo e feito da melhor forma possível, do que pagar por um serviço rápido e entregue de qualquer maneira.

3. Mantenha uma tabela de preços: Assim fica mais fácil para o cliente conhecer os seus serviços e, consequentemente, quanto você cobra. Estas informações dadas antes do primeiro contrato evitam qualquer conversa constrangedora sobre orçamento, o contratante já se adianta incluindo os valores ao planejamento financeiro e, se ele pedir especificações não divulgadas na sua tabela, a negociação será mais direta.

4. Compartilhe o seu trabalho e mostre o quanto vale: Todos os seus trabalhos como freelancer podem ir para um portfólio ou uma página segmentada no Facebook, por exemplo. Desse modo, você poderá divulgar as suas conquistas e a qualidade do seu trabalho. Isso gera respeito, além de aumentar a procura dos contratantes. Fazer um nome e uma carreira não é exclusividade de quem trabalha em uma empresa.

5. Treine seus clientes para esperar por aumento de preços:Principalmente para aqueles que são fiéis e sempre contratam seus serviços, é bom estar ciente que, assim como acontece na demanda do mercado, o seu trabalho pode passar a custar mais caro dependendo de circunstâncias como, material utilizado ou mesmo procura no mercado. Assim fica mais fácil evitar reclamações com relação a aumento.

6. Não deixe ninguém na mão: Quando você fecha um negócio de trabalho como freelancer, estabeleça, entre outras especificações, o deadline para a entrega. É importante que você cumpra sempre com suas obrigações nos prazos determinados e nunca deixe nenhum cliente na mão. O comprometimento é positivo para possíveis recomendações e negócios com novos clientes.