Edição 296Setembro 2019
Domingo, 15 De Setembro De 2019
Editorias

Publicado em 27/06/2019 - 7:49 am em | 0 comentários

Reprodução

2ª Mostra de Cinema do Brasil movimenta Lisboa até domingo

Iniciativa da Embaixada do Brasil em parceria com a Linhas Produções Culturais

2ª Mostra de Cinema do Brasil movimenta Lisboa até domingo

A 2ª Mostra de Cinema do Brasil em Lisboa acontece até domingo, com a programação de 16 filmes, a presença de artistas e diretores e uma sessão dedicada exclusivamente a alguns dos mais recentes e premiados curtas-metragens brasileiros. A mostra teve início na terça-feira e é organizada pela Embaixada do Brasil em Lisboa, em parceria com o Cinema São Jorge e a Linhas Produções Culturais.

Entre as convidadas, destaque para a atriz Marjorie Estiano, protagonista do longa As Boas Maneiras (fantasia | drama), de Juliana Rojas e Marcos Dutra. O filme será exibido no sábado, às 21 horas. Marjorie é uma das atrizes brasileiras de maior destaque da sua geração. Ganhou fama como a vilã Natasha, no seriado Malhação, da TV Globo, em 2004. Depois, atuou em novelas como Páginas da Vida, Duas Caras, Caminho das Índias e A Vida da Gente. Foi uma das protagonistas de Lado a Lado, novela vencedora do Emmy 2013; em 2014, como a elogiada antagonista da novela Império, consolidou sua posição no time de atores da TV Globo.

No cinema, recebeu elogios e indicações a prêmios importantes, como em Malu de Bicicleta, O Tempo e o Vento, Beatriz e Apneia. Em 2018, lançou nos cinemas, “Todo o clichê do amor”, “Paraíso Perdido” e “As boas maneiras”. No teatro ganhou indicações e prêmios de destaque, como o de melhor atriz no Festival de Teatro Lala Schneider, em 1999, pelo espetáculo Clarice. Recebeu o Prêmio Arte Qualidade Brasil de melhor atriz de teatro por Inverno da Luz Vermelha, em 2011, e o Prêmio Aplauso Brasil de melhor atriz coadjuvante em O Desaparecimento do Elefante, peças com direção de Monique Gardenberg. Atualmente, é protagonista de Sob Pressão, da Globo, série premiada internacionalmente. A atriz ganhou recentemente o prêmio APCA de melhor atriz por seu trabalho na série.

A mostra ainda traz como destaque o documentário Eu, meu pai e Os Cariocas, de Lúcia Veríssimo, que será exibido hoje, às 20 horas. Após a sessão haverá um debate sobre a obra com a diretora. O documentário mostra a história do Grupo Os Cariocas, formado em 1942 e que representa um marco da música popular brasileira, do samba-canção à bossa nova. O grupo começou a impressionar o mundo com seu estilo único de arranjos vocais. Filha do maestro Severino Filho, membro que mais tempo ficou no conjunto, Lúcia Veríssimo narra, com a contribuição de inúmeros artistas e pesquisadores, a história de Os Cariocas.

Quem é fã da música brasileira também não deve deixar de assistir ao documentário Damas do Samba, amanhã, às 17 horas, que traz uma retrospectiva da trajetória do samba ao longo da história, com destaque para a participação feminina, e também ao longa de ficção Todas as Canções de Amor, romance que traz no elenco Marina Ruy Barbosa, Bruno Gagliasso, Julio Andrade e Luiza Mariani. No filme, uma fita K7 gravada há décadas com um repertório de músicas românticas brasileiras das últimas décadas dá o tom para as histórias dos casais.

O bullying cometido na adolescência com a divulgação de fotos nuas de parceiros e até mesmo a pedofilia são tratados em outros dois filmes: Ferrugem, de Aly Muritiba, e Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor. Completam a mostra os longas Divinas Divas (documentário), de Leandra Leal, Temporada (drama), de André Novais Oliveira, Talvez Uma História de Amor (comédia romântica), de Rodrigo Bernardo, O Animal Cordial (thriller | suspense), de Gabriela Amaral Almeida, Intimidade entre Estranhos (drama), de José Alvarenga Jr, Cinderela Pop (fantasia | comédia), de Bruno Garotti, Rasga Coração (drama), de Jorge Furtado, Irmão do Jorel (animação), de Juliano Enrico, e Mulheres Alteradas (comédia), de Luis Pinheiro.

Alguns dos mais recentes e premiados curtas-metragens brasileiros também ganham uma sessão exclusiva no festival deste ano. No domingo, às 17 horas, serão exibidos os curtas O Órfão, de Carolina Marcowicz (Queer Palm em Cannes/2018), Eu, Minha Mãe e Wallace, de Eduardo Carvalho e Marcos Carvalho (Melhor Curta pelo Público no Festival de Brasilia/2018), Guaxuma, de Nara Normande (Melhor Curta no Festival de Gramado/2018), Mesmo com Tanta Agonia, de Alice Andrade Drummond (Melhor Filme no Festival Lugar de Mulher é no Cinema/2019) e A Volta para Casa, de Diego Freitas, que acaba de ser lançado no Brasil e conta com Lima Duarte no papel principal.

Durante todo o período da 2ª Mostra de Cinema do Brasil em Lisboa, o Cine São Jorge também abriga uma exposição do fotógrafo brasileiro Daryan Dornelles. São mais de 100 imagens de alguns dos mais consagrados artistas brasileiros como Chico Buarque de Holanda, Fernanda Montenegro, Gilberto Gil, Wagner Moura e Maria Bethânia.