Edição 296Setembro 2019
Domingo, 15 De Setembro De 2019
Editorias

Publicado na Edição 290 Março 2019

Luiz Carlos Ferraz

Santos regulamenta uso de patinete elétrico

Santos regulamenta uso de patinete elétrico

Veículo que prolifera em Santos, o patinete elétrico recebeu regulamentação para circular em calçadas e ciclovias da cidade, com definição de velocidade e estacionamento, em sintonia com a Resolução nº 315 do Contran (alterada pela Resolução nº 465), que regulamenta a circulação de equipamentos de mobilidade individual impulsionados pelo próprio usuário e estabelece regras gerais de uso. Velocidade até 6 km/h, em áreas de circulação de pedestre; e velocidade de até 20 km/h, em ciclovias e ciclofaixas. Outra questão é que o patinete não pode ser deixado na via pública. A retirada e a devolução devem ocorrer em áreas privadas, conveniadas com a empresa que oferta o serviço.


Procon-SP autuará a Empiricus em razão da publicidade veiculada na internet anunciando ganho de mais de um milhão de reais. A empresa afirma que possui documentos que atestam a veracidade das informações, mas se recusa a apresentar ao Procon alegando direito à privacidade, intimidade e sigilo dos envolvidos. Na publicidade, Bettina, uma jovem de 22 anos relata que começou a investir aos 19 comprando ações na bolsa de valores e que a aplicação inicial de R$ 1.520 em apenas três anos chegou a mais de um milhão.


Programa Novotec, desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do estado de São Paulo, em parceria com o Centro Paula Souza, dará oportunidade aos alunos do ensino médio de cursarem ao mesmo tempo ensino técnico profissionalizante de alta qualidade e saírem com dois diplomas. Até 2022 o objetivo é triplicar as vagas oferecidas atualmente chegando a 180 mil.


Após o início do calendário oficial das aulas, um terço dos alunos da rede pública de ensino do estado de São Paulo ainda não recebeu uniformes escolares, material didático e itens que compõem o kit escolar, apontou em março relatório de fiscalização elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (Tcesp), que envolveu 215 municípios do interior, litoral e região metropolitana de São Paulo.


CPFL Piratininga, distribuidora da CPFL Energia que atende 27 municípios do interior paulista e Baixada Santista, tornou obrigatório desde março a instalação de um equipamento chamado Dispositivo de Proteção Contra Surtos (DPS) no padrão de entrada (“postinho”) para novas ligações de energia. A principal função do equipamento é proteger a rede elétrica do cliente contra raios e descargas atmosféricas. O uso do DPS está regulamentado pela norma brasileira NBR 5410 Instalações Elétricas de Baixa Tensão.

CARTAS para esta coluna: Jornal Perspectiva, Consumidor & Cidadania, e-mail: redacao@jornalperspectiva.com.br