Edição 271Agosto 2017
Domingo, 24 De Setembro De 2017
Editorias

Publicado na Edição 261 Outubro 2016

Recall é procurado por apenas 12,82%

Recall é procurado por apenas 12,82%

Levantamento da Fundação Procon-SP, com base no Banco de Dados de Recall, constatou que apenas 12,82% dos veículos chamados nas campanhas realizadas no 1º semestre deste ano compareceram às concessionárias para realizar os reparos que envolvem risco de acidentes. O dado preocupa, pois os recalls somente são realizados em casos de defeitos que colocam em risco a saúde e a segurança do consumidor. A baixa procura se deve tanto pelas fracas campanhas realizadas pelas montadoras quanto pela falta de informação dos consumidores, avalia o Procon-SP.


 

A Cnova Comércio Eletrônico S/A, responsável pelos sites do Extra, Ponto Frio, Casas Bahia, Barateiro, e-Hub e Cdiscount, ficou em primeiro lugar no ranking de comércio eletrônico do Procon-SP com 4.960 reclamações de janeiro a agosto deste ano. No mesmo período de 2015 a empresa recebeu 2.827 reclamações, o que significa aumento de 75%! Em segundo lugar ficou a B2W Companhia Digital, dos sites Submarino, Americanas, Shoptime e Soubarato, que dobrou o número de registros em relação a 2015, de 580 para 1.174. Em terceiro lugar aparece o Magazine Luiza; em quarto, Walmart, e em quinto, NS2.com Internet S/A, dos sites Netshoes e Zattini.

A não-entrega e atraso na entrega do produto estão entre as principais reclamações dos consumidores da Cnova, 61%, enquanto que a média do segmento para este tipo de problema é de 36%.

Cnova e B2W também lideram o item não-solução dos problemas. O índice de solução das duas empresas ficou em 73%. O índice mais próximo do desejado é do Walmart (90%), seguido por Magazine Luiza com 89% e NS2.com com 86%.

O Procon-SP orienta que o consumidor tem o direito de no ato da compra ter a informação do prazo de entrega, que deve constar no pedido e na nota fiscal (Lei nº 13.747/2009, a “Lei da Entrega”). Se o produto não for entregue no prazo estipulado o consumidor pode cancelar a compra e ter de volta os valores pagos, monetariamente atualizado, e a perdas e danos.

Para ajudar o consumidor a avaliar se é impulsivo na hora de consumir, o portal de educação financeira do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), Meu Bolso Feliz, elaborou um teste com 10 perguntas com exemplos de situações de compras para identificar se a pessoa é controlada emocionalmente ou se deixa levar por sensações momentâneas, estímulos promocionais ou para impressionar as pessoas. Acesse o link http://meubolsofeliz.com.br/teste/voce-e-um-comprador-impulsivo


 

CARTAS para esta coluna: Jornal Perspectiva, Consumidor & Cidadania, e-mail: redacao@jornalperspectiva.com.br