Edição 275Dezembro 2017
Domingo, 17 De Dezembro De 2017
Editorias

Publicado na Edição 267 Abril 2017

Divulgação

Polêmica envolve miopia e a falta de sol

Polêmica envolve miopia e a falta de sol

A miopia, dificuldade de enxergar à distância, uma das alterações oculares que mais cresce no mundo, pode ser combatida entre adultos pela maior exposição à radiação UV (ultravioleta) emitida pelo sol durante a adolescência e juventude. Esta é a principal conclusão de uma pesquisa publicada no Jama Ophthalmology.

Para o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, de Campinas, no interior do Estado de São Paulo, a conclusão é controversa, pois a exposição dos olhos ao sol eleva o risco de contrair varias doenças, entre elas a catarata, o pterígio e a degeneração macular, que leva à perda irreparável da visão.

Liderado por Astrid E. Fletcher, da London School of Hygiene and Tropical Medicine, o estudo reuniu europeus de diversos países com idade média de 65 anos. A maioria, 2.797 sem miopia, e 371 míopes. Em todos os participantes foi realizado exame de sangue para analisar o nível de vitamina D. Isso porque, a alta concentração dessa vitamina indica menor risco de miopia conforme estudo anterior. Os pesquisadores calcularam a exposição à radiação UV de acordo com a incidência do sol na região de cada pessoa, somada ao tempo diário de atividades externas relatado em entrevista. A pesquisa concluiu que quanto maior a exposição ao sol menor é o risco de miopia, mas não prova esta relação.

Queiroz Neto afirma que a miopia pode estar relacionada a vários fatores genéticos e ambientais, mas é pouco provável que tenha alguma relação com o sol. Não há dúvida que durante a infância a falta de atividade ao ar livre faz com que o cristalino do olho perca a acomodação visual, ou seja, a capacidade de focar automaticamente todas as distâncias, podendo causar miopia.

Isso ficou comprovado em estudo feito pelo médico com 360 crianças de 6 a 9 anos que usavam o computador e outras tecnologias por até 6 horas ininterruptas: 21% passaram a ter dificuldade de enxergar de longe contra os 12% apontados pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia. O médico conta que a criança tem uma maior acomodação visual e o excesso de esforço para enxergar de perto faz com que perca a capacidade de focalizar à distância. Crianças que ficam com os olhos colados na tela do celular ou computador têm miopia transitória que pode ser revertida alternando com atividades externas.

Por isso, na opinião do especialista o que influiu na menor incidência de miopia entre os participantes na pesquisa realizada em Londres não foi a exposição ao sol, mas a maior amplitude da acomodação visual permitida pelas atividades externas. Isso também explica, comenta, porque a miopia é mais frequente em pessoas que exercem atividades que exigem muita visão de perto, como por exemplo, as costureiras.

O oftalmologista também alerta para o fato da pesquisa europeia apontar para a menor incidência da miopia nos participantes que tinham maior concentração de luteína no plasma. No verão, ressalta, devemos redobrar o consumo de alimentos ricos neste nutriente. Os principais são as folhas verde-escuro como couve, espinafre ou brócolis e os ovos. Isso porque, a luteína é um potente antioxidante que protege os olhos dos efeitos nocivos da radiação UV e da luz azul, responsáveis pelo desenvolvimento de catarata, pterígio e degeneração macular. Tanto que a cor amarelada da mácula, porção, central da retina que responde pela visão de detalhes, está relacionada à luteína.

Porções extras de carotenoides encontrados em frutas, verduras e legumes de cor alaranjada também devem ser consumidas pelas mesmas razões que as folhas verde-escuro.

O médico lembra que o consumo exagerado de açúcar aumenta a produção de insulina e pode interferir no crescimento do eixo óptico onde as imagens são projetadas. A recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) é consumir seis colheres de chá de açúcar/dia. Acima disso, além de interferir no crescimento do eixo óptico que caracteriza a miopia, dificulta o metabolismo da gordura e colesterol, aumentando a chance de desenvolver degeneração macular. Estes pequenos cuidados somados ao uso de óculos com filtro UV evitam as doenças relacionadas ao sol e a miopia.