Edição 308Setembro 2020
Terça, 20 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 252 Janeiro 2016

Divulgação

Pedras nos rins aumentam no Verão

Mais casos na estação quente

Pedras nos rins aumentam no Verão

O intenso calor de Verão, associado ao aumento da transpiração e a falta da ingestão adequada de água, podem gerar riscos para o surgimento da doença popularmente conhecida como pedra nos rins. O alerta é do Centro de Referência em Saúde do Homem, na capital paulista. A unidade da Secretaria de Estado da Saúde é gerenciada em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM).

Segundo o urologista Claudio Murta, nos períodos mais quentes do ano há um aumento de cerca de 30% no atendimento a casos de cálculos renais. A unidade, conhecida como “Hospital do Homem”, é referência no tratamento de litíase e realiza mais de 50 cirurgias mensais somente nessa área, além de outros procedimentos urológicos.

Mudanças na alimentação, a constante reposição de líquidos e a atenção à coloração da urina são algumas das principais orientações para evitar o surgimento de cálculos renais. “Quanto mais transparente estiver a urina, melhor. Se estiver com aparência amarelada e escura, é sinal de que o corpo precisa de mais líquidos para manter-se hidratado, longe dos cálculos renais”, explica.

Mais de 15% da população mundial apresenta cálculos renais, sendo que na maioria dos casos é possível expelir as pedras pela urina.

Para Murta, a dieta ideal para a saúde dos rins no Verão inclui o aumento da ingestão de água (cerca de dois litros ao dia) e de sucos de frutas cítricas, associado à diminuição do uso de sal nos alimentos. As refeições diárias devem conter mais verduras, legumes, frutas e saladas. Os frutos do mar devem ser evitados, pois contém altas doses de ácido úrico, um dos responsáveis pelo desenvolvimento dos cálculos renais: “É importante também considerar a redução de frituras e carne vermelha nesta época de calor”.

Responder