Edição 310Novembro 2020
Terça, 01 De Dezembro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 261 Outubro 2016

Divulgação

Homem ignora prevenção

Não é costume acompanhar o próprio quadro de saúde

Homem ignora prevenção

Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde mostrou que 31% dos homens brasileiros não fazem um acompanhamento regular no estado de saúde com nenhum tipo de profissional médico. Segundo o estudo, 55% dos entrevistados não procuraram consultórios porque sentiam que “nunca precisaram”, levando a conclusão de que o público masculino pensa que não se acomete de doenças ou possui medo de descobri-las. Talvez por isso, a expectativa de vida dos homens, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 71 anos, enquanto as mulheres vivem oito a mais.

Para o oncologista Márcio Almeida, da Aliança Oncologia, essa situação serve de justificativa e também de incentivo. “Podemos dizer que muitos homens poderiam se curar de determinadas doenças se acompanhassem um médico mais regularmente. Mas, com a falta de interesse do público masculino pela sua saúde, essas mesmas enfermidades, que seriam tratáveis ou curáveis em estágios iniciais, demoram a ter um diagnóstico e já passam a ser muito complicadas em um quadro clínico. Justamente por viver menos, os homens deveriam procurar mais pela medicina”.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de pele não melanoma e o de próstata são os dois tipos de tumores que mais acometerão o público masculino em 2016 e 2017, com 46% e 28,6% dos casos, respectivamente, e responsáveis por 2,4% das mortes por tumores em 2013.

Responder