Edição 308Setembro 2020
Domingo, 25 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 252 Janeiro 2016

Divulgação

Cuidando da saúde do coração

Carne processada: mais risco de doenças

Cuidando da saúde do coração

Alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) divide opiniões ao classificar algumas categorias de alimentos processados como causadores de câncer. Segundo a instituição, a ingestão diária de 50 gramas de carne processada aumenta em 18% o risco de desenvolver tumores no intestino, pâncreas e próstata. Estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que, no Brasil, serão totalizados 32.600 mil novos casos de câncer colorretal ao longo deste ano. Destes, 15.070 acometerão homens, e 17.530 mulheres.

Para a nutricionista clínica Angela Cristina Bárbaro, do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, o segredo da prevenção está na quantidade e na frequência do consumo: “É importante salientar que não é preciso abolir as carnes vermelhas e processadas da dieta, pois elas são ricas em proteína, vitamina B, ferro e zinco. O ideal é moderar a ingestão de alguns alimentos a no máximo três vezes por semana, pois as gorduras saturadas e o colesterol contidos nas carnes podem prejudicar a saúde do coração”.

Além das fortes evidências de seu papel cancerígeno, o sódio, presente nas carnes processadas, favorece o desenvolvimento da hipertensão arterial. Para a nutricionista, um risco a mais ao coração: “Pesquisas nos mostram que o sal e os conservantes usados no processamento destes alimentos são os verdadeiros responsáveis pelo desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O sal aumenta a pressão sanguínea, enquanto que os conservantes reduzem a tolerância à glicose”.

A OMS também recomenda a ingestão de 5 gramas diárias de sal. No entanto, sabe-se que os brasileiros consomem mais que o dobro da recomendação máxima. “O consumo médio de sal do brasileiro é de 12 gramas diárias. Para ter uma ideia, 100 gramas de linguiça representam a quantidade de sódio a ser consumida em um único dia”, informa a nutricionista.

De acordo com o cardiologista e nutrólogo do HCor, Daniel Magnoni, hábitos de vida saudáveis e uma dieta balanceada são medidas preventivas importantes: “Adotar uma dieta balanceada, com moderação, associada à prática de exercícios físicos e acompanhamento médico são ótimos aliados à saúde. É indicado exame de colonoscopia – o mais recomendado para a prevenção de tumores intestinais por detectar e tratar a presença de pólipos pré-cancerosos – a partir dos 50 anos, se não houver histórico familiar, e aos 40, se houver”.

Responder