Edição 310Novembro 2020
Terça, 01 De Dezembro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 255 Abril 2016

Divulgação

Acupuntura na gravidez

Técnica milenar chinesa ajuda no alívio de enjoos, dores lombares...

Acupuntura na gravidez

A acupuntura tem sido uma grande aliada das futuras mamães, pois além de aliviar alguns desconfortos, pode auxiliar no controle de doenças, como diabetes e hipotireodismo. “Durante a gestação, a acupuntura é recurso importante tanto para a mãe quanto para o bebê, pois alguns medicamentos podem causar danos ao feto”, frisa a médica e diretora do Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa (Center AO), Marcia Lika Yamamura.

A acupuntura tem forte aplicação nos enjoos e vômitos gravídicos, no inchaço, nas hipertensões arteriais (DHEG), nas dores como cefaleias, enxaquecas, lombalgia, além de auxiliar no controle de doenças. No pós-parto a acupuntura também é eficaz na hipogalactia, ou seja, quando a mãe não produz leite suficiente.

“Como a prática oferece mais bem-estar para a mãe, o bebê também sentirá o reflexo dos benefícios através da relação materno fetal”, explica Marcia Yamamura: “A mãe que sofre de alguma doença, seja por dores ou emoções, pode transmitir essas sensações ao bebê. Com o auxílio da acupuntura, o bem-estar fetal também será proporcionado”.

A acupuntura tem como objetivo estimular terminações nervosas por meio de agulhas finas e equilibrar as energias do corpo e da mente, reestabelecendo as energias do corpo. A técnica geralmente é aplicada em pontos específicos do corpo, porém, na gestação, as agulhas não devem ser aplicadas na pelve ou no abdômen abaixo da altura uterina, além de pontos que podem provocar contrações uterinas. “Por isso, recomenda-se que a acupuntura seja feita por um médico especializado na prática, pois é preciso conhecer a anatomia humana”, afirma Marcia, ao elencar que, durante a gestação, a acupuntura pode ajudar em diferentes sintomas, como dores de cabeça, enjoos e vômitos, inchaços, lombalgias, além dos problemas emocionais, como tristeza, raiva, revolta, preocupação, tensão, medo, ansiedade, depressão. “São muitas emoções nesta fase da vida e a acupuntura também pode auxiliar no equilíbrio da mente, proporcionando mais bem-estar à futura mãe”, frisa a especialista, ao observar que a acupuntura também auxilia a melhorar outros sintomas, como constipação intestinal, sensação de falta de ar, indisposição, qualidade do sono, má posição fetal e pós-parto.

Responder