Edição 353Junho 2024
Segunda, 24 De Junho De 2024
Editorias

Publicado na Edição 343 Agosto 2023

Divulgação

Rotary se mobiliza por EM

Antonio Kanda, presidente do Rotary Satélite, e o jornalista Nelson Tucci: “É preciso conscientizar o maior número de pessoas”

Rotary se mobiliza por EM

Nelson Tucci

No mês de conscientização sobre a Esclerose Múltipla (EM), o Rotary Club Satélite de São Paulo Sudeste – Confraria de Negócios anuncia projeto de aquisição de equipamento para minimizar os efeitos da doença aos pacientes. Em 10 de agosto foi promovida palestra com este jornalista, sob o tema Resiliência e Inclusão. “É preciso conscientizar o maior número de pessoas”, resume o arquiteto Antonio Kanda, presidente do Rotary Satélite.

A exemplo do que eu disse na palestra, que só descobri que Camila e Alexandre – pessoas reais e duas personagens do livro “Ramal EM-Km Zero”, ora em elaboração – tinham a Esclerose Múltipla porque eles falaram, o arquiteto e urbanista endossa. “Só sei porque me contaram”, diz ele, ao comentar que Alexandre, também arquiteto, tem sido parceiro em alguns projetos, e Camila colabora com Kanda, como contato comercial, além de se juntar ao Rotary Club como voluntária.

Adquirir o equipamento para neuro modulação transcraniana – processo que ameniza a dor e ajuda a restabelecer movimentos – é uma tarefa útil, mas ao mesmo tempo difícil. Só existe no exterior (países nórdicos) e o custo é de US$ 40 mil (algo próximo de 200 mil reais). Sandra Mimoto, ex-presidente do Rotary Satélite iniciou o processo (que começa com a verificação da necessidade de aquisição, depois a cotação internacional de preços e, finalmente, a elaboração de um processo interno, do Rotary Club internacional). “É um Projeto Global, que passa pela Fundação Rotária, por isso demora, mas vamos caminhar melhor agora, depois de cumprida uma etapa burocrática”, diz Sandra, que já tem adesão do Rotary mexicano e o interesse em colaborar de mais dois clubes do interior paulista, além da anuência da Fundação (internacional).

Esta maravilhosa máquina – que não cura, porque a doença ainda não a tem – ajudará a vida de Camila, Alexandre, Magali e tantos outros que precisam de apoio. Tão logo seja adquirida ocorrerá a doação para a Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM), entidade filantrópica, que atende pessoas do país inteiro.

Camila, Alexandre e Magali contaram suas histórias – de luta e soerguimento –, que serão revelados, em breve, no livro que abriu financiamento coletivo (informações pelo email nelsontucci@gmail.com) para que sirva de exemplo real a quem enfrenta jornada semelhante. EM não tem cura, mas se tratada melhora muito a qualidade de vida do paciente.Nelson Tucci é jornalista, editor de Veículos & Negócios, atualizada semanalmente em www.veiculosenegocios.blogspot.com.br

Responder