Edição 353Junho 2024
Segunda, 24 De Junho De 2024
Editorias

Publicado na Edição 347 Dezembro 2023

Divulgação

Anfavea revela otimismo

Associação dos fabricantes projeta elevação de 5,8% na produção

Anfavea revela otimismo

Nelson Tucci

Aqueda das exportações e aumento de importados provocou leve recuo, de 0,5%, na produção de veículos este ano. Ao encerrar dezembro, a indústria nacional terá fabricado 2,359 milhões de autoveículos, projeta a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Depois de um primeiro semestre aquém do esperado, admite a indústria, para o mercado interno, houve relevante aumento no ritmo de vendas de autoveículos a partir de agosto, atingindo média de 10,6 mil unidades/dia em novembro. Assim, 2023 deverá fechar com 2,29 milhões de emplacamentos, representando alta de 8,8% sobre 2022, acima dos 6% projetados pela entidade. Já no segmento pesados, os ônibus tiveram bom crescimento, de 18,8% no ano, graças sobretudo à maior demanda por modelos de uso rodoviário.

De outro lado, os caminhões registraram queda de 15,2% após a forte antecipação de compras ocorrida em 2022, na esteira da nova fase de legislação de emissões que elevou os custos dos produtos. Ou seja, tudo dentro do previsto.

Para o próximo ano, 2024, a Anfavea projeta vendas de 2,450 milhões de autoveículos, uma elevação de 5,8% sobre 2023. Na divisão por grandes segmentos, espera-se alta de 5,3% para automóveis e comerciais leves, e de 14,1% para veículos pesados. Já em relação à produção, o mercado espera crescimento de 4,7% nesse volume, o que representa 2,470 milhões de unidades produzidas.

“Precisamos de todo o esforço conjunto das empresas e da sociedade para aumentar nossa produtividade, mas acredito que só em 2026 recuperaremos os níveis registrados antes da pandemia”, afirmou o presidente da entidade, Márcio de Lima Leite.

Nelson Tucci é jornalista, editor de Veículos & Negócios, atualizada semanalmente em www.veiculosenegocios.blogspot.com.br

Responder