Edição 353Junho 2024
Sábado, 22 De Junho De 2024
Editorias

Publicado na Edição 352 Maio 2024

Leão, onça, jaguar… nos jardins de Santos

Leão, onça, jaguar… nos jardins de Santos

Leão, de 1940, é obra do artista Sigismundo Fernandes

Eduardo Ribeiro Filetti

Quando pequeno, seis ou sete anos, passeando com a família no Gonzaga, fui incentivado a passar a mão na escultura da leoa que embeleza os jardins da orla. Ao chegar perto, contudo, um senhor deu um grito que quase me matou de susto e me perturbou várias noites, pois sonhava com o animal. Ficou assim na minha lembrança a leoa feroz e sempre que passava pelo local prestava atenção na figura do animal, refletindo se seria leoa, leão, onça…

Alguns anos depois li reportagem no jornal local A Tribuna, que destacou afirmação de especialista em grandes felinos, dono de circo, que esclareceu que a escultura não era de uma leoa, mas sim de uma onça. Mas, seria uma onça pintada, ou parda, também chamada sussuarana? O texto não explicava, embora alguns insistissem em dizer que se tratava mesmo de um puma… A polêmica era ampliada pelas alterações que volta e meia surgiam na classificação e origem das famílias dos felinos.

Concluída a formação acadêmica na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, ao retornar à cidade natal, sempre lembrava da estátua, com saudades da infância, parada obrigatória de turistas, enfim, um ponto turístico da orla. Ao recorrer à história, li que tudo começou em 1940. A primeira escultura, que de fato representa um leão, foi construída naquela década. Toda em concreto e pintada de branco, ela foi encomendada pela Prefeitura de Santos, na gestão do prefeito Cyro de Athayde de Carneiro, e entregue no dia 10 de outubro.

O leão é uma obra do artista Sigismundo Fernandes, que foi presidente do Centro Espanhol e Repatriação de Santos, e pela empresa Labor, que pertencia a ele. A escultura retrata o animal caminhando, com a boca aberta, simulando um rugido.

Estas informações estão nos registros da Fundação Arquivo e Memória de Santos (FAMS).

Uma outra escultura decora os jardins da praia de Santos e, efetivamente, não é de uma leoa! Foi um trabalho dos alunos das oficinas de escultura do Instituto Escolástica Rosa e o felino retratado está sentado sobre um pedestal. Por muitos anos especulou-se que a escultura seria de uma onça pintada. Em 2008 estudei a fundo esta escultura, que seria de uma leoa, mas trata-se de um jaguar. A conclusão se deu em razão do tamanho da cauda: enquanto a cauda de uma leoa tem, em média, de 30 a 50 centímetros, a do jaguar é maior. A escultura que fica na praia de Santos tem cauda de 1,20 metro. Portanto, é um jaguar.

Curiosidades desta cidade maravilhosa chamada Santos.

Eduardo Ribeiro Filetti é médico veterinário, professor universitário, cadeira nº 2 da Academia Santista de Letras.

Responder